À espera de propostas, Cortez recorda dispensa do SP: “ninguém sabe motivo”

0
128

Reprodução/Site Oficial

Cortez foi afastado do SP em 2013, após derrotas no
Paulista e na Libertadores

Os anos de 2011 e 2012 continuam sendo os anos mais marcantes
na carreira de Cortez. Botafogo, São Paulo e até seleção
brasileira fizeram parte da melhor fase do lateral, que a
partir de 2013 começou a cair no esquecimento dos torcedores.
Ainda no time tricolor paulista, ele acabou dispensado – junto
a outros seis jogadores – pela diretoria depois das eliminações
do Paulistão e da Libertadores daquele ano. Mais de três anos
depois, Cortez diz ainda não saber o porquê fez parte da lista,
que ainda contava com nomes como os de Cañete e João Filipe.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, Cortez
relembra o afastamento, segundo ele 'sem motivo', e revela
certa mágoa com a antiga diretoria. Por outro lado, diz-se
muito grato ao São Paulo e não esconde a vontade de voltar a
defender o clube, apesar de achar pouco provável. Após dois
anos atuando no Japão (Albirex Niigata), o lateral está de
volta ao Brasil e espera seguir no país por conta do nascimento
de seu segundo filho – sua mulher está com seis meses de
gravidez. Enquanto isso, aguarda seus representantes definirem
seu futuro no futebol.

Afastamento do São Paulo. Por qual motivo?

Site Oficial/saopaulofc.net

A real situação do meu afastamento ninguém sabe até hoje,
nem eu sei, mas eu não fiquei chateado, não. Eu sou funcionário
do clube e tenho que estar pronto para qualquer coisa. Eu sou um
trabalhador, então se o clube optou por me afastar sem motivo,
sem justa causa, fazer o quê? Eu tenho que trabalhar, vida que
segue. Eles me afastaram sem motivos, não falaram nada e até
pessoas que estavam trabalhando comigo, ninguém entendeu nada,
todo mundo me conhecia, sabia da minha índole, sabia da minha
história, sabia que eu era um cara de compromisso, com
responsabilidade, chegava cedo no meu trabalho, era o último a
sair, então não teve motivo, mas também não cabe a mim ficar
remoendo essa história, voltando essa história, aconteceu, é
passado, mas eu sou grato ao São Paulo.

Volta do Japão após dois anos

Divulgação

Voltei do Japão, estou no Brasil e aguardando resolver a
minha situação, meus representantes estão conversando com o São
Paulo, com quem eu tenho contrato [30 de junho de 2017], para
gente poder fazer tudo certinho, de uma forma amigável, uma forma
boa para todo mundo. Eu penso em poder estar perto da minha
família, da minha esposa... Foram dois anos produtivos lá no
Japão, dois anos muito bem, só tenho a agradecer a Deus; um lugar
maravilhoso que eu pude passar com a minha família, pude dar
bastante assistência, fazer gol, e agora a minha esposa está
tendo o segundo bebê [já tem um menino] e eu quero estar mais
próximo deles, ela está gravida de seis meses. Quero acompanhar a
gestação dela e os meus representantes estão analisando as
propostas. Sei que tudo vai dar certo e eu sou muito grato ao São
Paulo por tudo o que eles fizeram por mim, por tudo o que estão
fazendo até hoje, eu não tenho o que reclamar, mas sim agradecer
ao São Paulo e toda à diretoria que sempre me ajudaram, até mesmo
lá do Japão. Então quero agradecer e ver a melhor forma para
todas as partes.

Papo com Rogério Ceni para ser aproveitado?

Não, eu não conversei com o Rogério. Eu sempre estou disposto a
ser aproveitado, eu estou sempre disponível para o São Paulo,
em qualquer situação, a hora que o São Paulo precisar de mim eu
vou estar sempre aqui.

Então, pelo fato de ninguém ter falado comigo e nem ter
comunicado nada com o meu representante, acho que não. Eu não
devo ser aproveitado por eles, não, mas nada é impossível. Eu
sou funcionário do clube, então se o clube precisar de mim eu
vou estar aqui.

2012. Ano maravilhoso no São Paulo

Ricardo Nogueira/Folhapress

Foi um ano maravilhoso no São Paulo. No ano em que eu
cheguei eu fui eleito o melhor lateral do Campeonato Paulista, e
no final da temporada conquistamos a Sul-Americana. No começo de
2013 eu me machuquei, fiquei alguns jogos da Libertadores sem
jogar, e quando eu voltei eu não voltei com o mesmo ritmo do
pessoal, voltei já no final da Libertadores e o time não
conseguiu classificar, aí eles me afastaram, mas eu não culpo o
São Paulo, eu não culpo ninguém, eles acharam melhor assim e eu
sou funcionário do clube, o que o clube optar fazer eu sempre
tenho que estar pronto a trabalhar. Se pegarem os meus números no
São Paulo, são números muito bons.

Propostas ainda não chegaram...

Mowa

Os meus representantes estão trabalhando, vendo a melhor
coisa, a melhor proposta, vendo a melhor situação para eu poder
estar fazendo o que eu gosto com alegria, com felicidade, e poder
estar mostrando o meu futebol como eu sempre mostrei. Até agora
eles não me passaram nada, eles vão me passar quando tudo estiver
concreto, mas até agora não me passaram nada, não, eu estou
aguardando os meus representantes.

Tiveram algumas sondagens, mas não chegou nenhuma proposta
concreta para o São Paulo, e como eu sou funcionário e jogador
do São Paulo eu voltei.

À espera de propostas, Cortez recorda dispensa do SP: “ninguém sabe motivo”
Avalie esta notícia