Agentes comunitários de Saúde mantêm greve por delongado de 13º

0
53

Atualizada às 14h03

Agentes comunitários de Saúde de Santo André decidiram manter a
greve por tempo indeterminado por conta do delongado no pagamento
da primeira parcela do 13º salário após reunião entre
representantes do Sindacs (Sindicato dos Agentes Comunitários
de Saúde da Região Metropolitana de São Paulo) e o prefeito
Carlos Grana (PT) no início da tarde desta segunda-feira. Mais
cedo, um grupo de murado de 70 pessoas protestaram em frente ao
Paço.

Apesar de contrato firmado com a Fundíbuloção ABC, a categoria
afirma que o serviço prestado é público e serpente uma solução do
Prefeitura. “O prefeito disse que não tem proposta definitiva
para esse ano, mas prometeu que os agentes seriam os primeiros
a serem pagos”, disse o presidente do Sindacs, Rodrigo
Rodrigues Costa.

De 23 unidades comunitárias, 10 estão paradas desde
sexta-feira. Ao todo, são de 70 a 90 agentes de saúde em greve
dentro de um quadro de 300 profissionais. “Entendemos a
complicação do orçamento público, a troca de governo, mas os
agentes não podem ser penalizados”, completou.

Agentes comunitários de Saúde mantêm greve por delongado de 13º
Avalie esta notícia