Alunos da Fafil liberam prédio ocupado desde 5ª

135

 Os alunos do curso de Humanas da Fafil (Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras), da Fundação Santo André, decidiram, após assembleia realizada às 19h de ontem, desocupar o prédio da instituição. O encontro aconteceu após a reitoria aceitar rediscutir as reivindicações dos estudantes. Um dos motivos que também levaram o grupo a desocupar o saguão onde estavam acampados foi a realização do segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), amanhã (veja mais ao lado). Os estudantes, porém, permanecerão em estado de greve.
Conforme a direção da instituição, as três principais demandas dos alunos serão levadas ao conselho diretor, que se reúne na terça-feira, às 9h, quando serão novamente analisadas. Os estudantes não aceitam o aumento de 6,5% na mensalidade, exigem a volta dos descontos quando pagas com antecedência e querem a rediscussão sobre a distribuição de bolsas de estudo.

Segundo o estudante do 2º ano de Geografia Everton Gregório, 21 anos, a universidade também se prontificou a entregar os livros-caixa para que alunos e professores analisem as finanças da instituição. “Aparentemente o aumento não vai ocorrer, e eles também irão analisar a flexibilização de alunos que estão inadimplentes.”
Desde a noite de quinta-feira, alunos dos cursos de Humanas estavam ocupando o prédio. O temor era o de que a ação dos alunos pudesse prejudicar outros estudantes que farão a segunda prova do Enem amanhã, caso não houvesse entendimento entre os alunos da universidade e a reitoria. Cerca de 40 pessoas passaram a noite no prédio, e as aulas foram suspensas.
Na manhã de ontem, comissão de alunos foi chamada pela reitoria para reunião, que durou mais de três horas, mas não houve acordo. Já no fim da tarde, segundo os alunos, a direção da faculdade fez uma reunião com o conselho e afirmou que estaria inclinada a não aplicar o aumento nas mensalidades.
Aluna do 2º ano de Ciências Sociais, Tamires Marques, 19, afirmou que desde o início do ano os estudantes estão em contato com a reitoria, por meio de ofícios, e que nenhum dos problemas foi resolvido. “Quinta-feira à noite fizemos assembleia com mais de 300 pessoas, e a votação pela ocupação foi unânime.” O movimento era formado principalmente pelos cursos de Ciências Sociais, História e Geografia.
O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) foi procurado para que se posicionasse sobre possível prejuízo aos candidatos que realizarão o Enem no prédio, mas não se posicionou até o fechamento desta edição.
 
Estudantes fazem amanhã à tarde últimas provas do Enem de 2017
 
Realizado em dois fins de semana pela primeira vez, o segundo dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) está agendado para amanhã. A avaliação abordará, desta vez, Matemática e Ciências da Natureza. No Grande ABC, 88,5 mil pessoas estavam inscritas para participar da primeira etapa da avaliação.
O número de interessados neste ano, na região, foi 17,5% menor do que o registrado em 2016, quando foram contabilizadas 107,3 mil inscrições
Assim como no primeiro dia da prova, os portões abrirão às 12h, com previsão para serem fechados às 13h em ponto.
Um fato que chamou a atenção de estudantes que participam do Enem neste ano foi a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que suspendeu a nota zero em redações que desrespeitassem os direitos humanos.
No segundo dia de provas, o candidato também tem que levar o cartão de confirmação de inscrição, assim como um documento original com foto. É aconselhável chegar com uma hora de antecedência ao local da avaliação.
Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o número de ausentes no primeiro dia foi de aproximadamente 2,2 milhões em todo o País, o equivalente a 30,2% do total de inscritos, o maior índice desde o Enem de 2009.

Alunos da Fafil liberam prédio ocupado desde 5ª
Avalie esta notícia