Atrium Shopping apresenta show cover de Cássia Eller no Dia Mundial do Consumidor

Atrium Shopping apresenta show cover de Cássia Eller no Dia Mundial do Consumidor: Atrium Shopping apresenta show cover de Cássia Eller no Dia Mundial do Consumidor: Com o espetáculo contagiante e gratuito, shopping homenageia os consumidores, neste domingo, 15 de março, às 17h

Atrium Shopping apresenta show cover de Cássia Eller no Dia Mundial do Consumidor

O Dia Mundial do Consumidor foi criado em 1985 em Assembleia Geral da ONU e desde então tornou-se uma data típica para o varejo compartilhar comemorações com os seus clientes. Pensando nisso, o Atrium Shopping, em Santo André, programou uma atração especial para o dia.

Neste domingo, o público do Shopping poderá relembrar ou conhecer grandes sucessos de Cássia Eller, interpretada pela cantora Nathalia Côrte com uma banda composta por quatro integrantes.

Mantendo a mesma energia de Cássia Eller e o clima de seus shows que empolgavam plateias de todas as idades, Nathalia surpreende em cena.  Seja pela semelhança física, timbre de voz, figurinos, postura cênica ou a forma de interpretar as canções, tudo em Nathalia lembra Cássia.

“Toda vez que estou no palco sinto a energia das pessoas curtindo meu som, e essa emoção me dá mais força pra continuar a minha carreira”, afirma Nathalia Côrte.

“Toda vez que estou no palco sinto a energia das pessoas curtindo meu som, e essa emoção me dá mais força pra continuar a minha carreira”, afirma Nathalia Côrte.

Quem foi Cassia Eller?

Cássia Rejane Eller (10 de dezembro de 1962 – 29 de dezembro de 2001) era uma cantora e músico brasileiro. Ela ganhou destaque no início dos anos 90 e apresentou uma mistura de rock e MPB. Eller lançou cinco álbuns de estúdio em sua vida:

  • Cássia Eller (1990),
  • O Marginal (1992),
  • Cássia Eller (1994),
  • Veneno AntiMonotonia (1997) e
  • Com Você… My World Would Be Complete (1999).
  • Seu sexto álbum de estúdio, Dez de Dezembro (2002), foi lançado postumamente.

O álbum de maior sucesso de Eller foi Acústico MTV – Cássia Eller (2001), vendendo mais de 1 milhão de cópias Em 29 de dezembro de 2001, Eller morreu de ataque cardíaco causado por uma má formação do seu coração aos 39 anos de idade.

A banda que acompanha a cantora é composta por músicos multi-instrumentistas, que tocam violão, bateria, contrabaixo, guitarra, flauta e percussão. Essa formação proporciona uma roupagem musical flexível, passando pelo rock, samba e baião e tornando o show empolgante.

Show Cover da Cássia Eller com a cantora Nathalia Côrte

Domingo, 15 de março, às 17h, na Praça de Alimentação

Evento Gratuito

Atrium Shopping

Rua Giovanni Battista Pirelli, 155 – Santo André – SP

Tel.: (11) 3135- 4500 – www.atriumshopping.com

 

Início de vida e carreira

Filha de um sargento pára-quedista do Exército e de uma dona de casa, o seu nome foi sugerido pela avó, que se dedicava a Rita de Cássia .

Nascida no Rio de Janeiro, RJ, mudou-se com sua família para Belo Horizonte, Minas Gerais, aos seis anos de idade. Aos 10 anos de idade, foi para Santarém, Pará, e aos 12 retornou ao Rio. Seu interesse pela música começou quando recebeu um violão de presente aos 14 anos de idade. Tocou principalmente músicas dos Beatles. Aos 18 anos, ela chegou a Brasília, onde sua família se mudou. Lá ela cantou em coro, fez audição para musicais, trabalhou em duas óperas como showgirl e se apresentou como cantora para um grupo de forró. Também fez parte do primeiro trio elétrico de Brasília, chamado Massa Real, e tocou a bateria Surdo em um grupo de samba. Ela tocou e cantou em vários bares (incluindo Bom Demais). Em 1981 apareceu em um espetáculo de Oswaldo Montenegro [citação necessária].

Um ano depois, aos 19 anos, querendo sua liberdade pessoal, mudou-se para Belo Horizonte para um lugar para morar e um emprego. Assim que chegou, ela foi trabalhar como pedreiro. “Eu fiz argamassa e montei tijolos”, disse ela. Lá ela morava em um pequeno quarto alugado. Ela não terminou o ensino médio porque os shows que ela fazia todos os dias em um turno diferente não lhe permitiam um horário para estudar.

Caracterizada pela voz profunda e suas escolhas ecléticas de material, tocou músicas de grandes compositores do rock brasileiro como Cazuza, Renato Russo e Rita Lee, assim como de MPB como Caetano Veloso e Chico Buarque, e de pop como Nando Reis, e de sambas como Riachão e de rock internacional como Janis Joplin, Jimi Hendrix, The Beatles, John Lennon e Nirvana [citação necessária].

Ela teve uma carreira musical significativa, embora curta, com dez álbuns gravados ao longo dos doze anos. Na verdade, foi somente em 1989 que sua carreira decolou. Ajudada por seu tio, ela gravou uma fita demo com a música “Por Enquanto”, de Renato Russo. Este tio levou a fita para a PolyGram, o que resultou na contratação de Eller pela gravadora. Sua primeira participação em um disco foi em 1990, no álbum de Wagner Tiso intitulado “Baobab”.

Eller sempre teve uma presença de palco muito intensa e preferiu álbuns gravados ao vivo. Ela era constantemente convidada para participações especiais e interpretações personalizadas [citação necessária].

Declarou-se intérprete de outros trabalhos, tendo composto apenas três das canções que gravou: “Lullaby” (com Márcio Faraco) no seu primeiro álbum, Cássia Eller, em 1990; “Eles” e “O Marginal” (com Hermelino Neder, Luiz Pinheiro e Zé Marcos) no segundo álbum, O Marginal (1992).

2001 foi um ano muito produtivo para a Eller. Em 13 de janeiro de 2001, ela se apresentou no Rock in Rio III em um show onde foram cantados clássicos do baião, samba e MPB em ritmo rock. [citação necessária] Neste dia a seqüência de atos foi a seguinte: REM, Foo Fighters, Beck, Barão Vermelho, Fernanda Abreu e Eller. 190 mil pessoas compareceram ao concerto.

Entre maio e dezembro, Eller fez 95 shows. Isso incluiu a gravação de um DVD (ao vivo, como ela preferia), [citação necessária] MTV Unplugged, entre 7 e 8 de março em São Paulo. O projeto incluiu artistas de alta capacidade artística e técnica: Nando Reis (direção musical / autoria, voz e guitarra em “Relicário” / voz em “De Esquina” de Xis), os músicos da banda: Luiz Brasil (direção musical / Cifras / Violões e Bandolim), Walter Villaça (Violões e Bandolim), Fernando Nunes (baixo), Paulo Calasans (Piano Acústico e Órgão Hammond), João Vianna (Bateria, Surdo, Ganzá, Grater e Blade), Lan Lan (Percussão e Vocal) e Tamima Brasil (Percussão), músicos convidados Bernardo Bessler (violino), Iura (violoncelo), Alberto Continentino (som baixo), Cristiano Alves (clarinete e clarinete baixo), Dirceu Leite (sax, flauta e clarinete), entre muitos outros. O álbum foi composto por 17 faixas, mais o Making Of, galeria de fotos, discografia e i.clip. O álbum vendeu mais de um milhão de cópias até hoje e tornou-se o maior sucesso na carreira de Eller Até então ela não era considerada uma cantora extremamente popular apesar das boas vendas e experiência.

No mesmo ano de 2001, ela se apresentava na MTV Video Music Brasil em sua MTV Unplugged ao lado de Rita Lee, Roberto de Carvalho e Nando Reis (interpretando o “Top Topo” de Os Mutantes).

No final do ano, ela se apresentou na Praça do Ó, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, durante as comemorações do ano novo. Ela morreu dois dias antes, no dia 29 de dezembro. Luciana Mello foi sua substituta. Em vários pontos do Rio de Janeiro, houve um minuto de silêncio durante a homenagem à passagem do ano em memória de Eller. Vários artistas também prestaram homenagem à cantora em seus shows na virada do ano.

O sexto álbum de estúdio da Eller, Dez de Dezembro, foi lançado postumamente em