Revisão na Justiça: Após Revisão Aposentadoria sobe 78% no INSS 2019

Duas Mudanças do INSS: Entenda as mudanças do INSS no Salário-Família e Auxílio-Reclusão

Revisão na Justiça: Após Revisão Aposentadoria sobe 78% no INSS 2019: Após revisão na justiça, a Aposentadoria sobe 78% no INSS. A Justiça tem sido a alternativa para que aposentados e pensionistas do INSS consigam corrigir

Revisão na Justiça: Após Revisão Aposentadoria sobe 78% no INSS 2019

Muito interessante que a Justiça tenha que ajudar a população, mesmo quando se trata de devolução de benefícios acumulados com o tempo de Trabalho. Pois nada mais justo que, após anos de contribuições o trabalhador tenha sua recompensa justa! Mas não aqui no Brasil.

Tudo aqui é feito com muita luta, suor e sacrifícios. Após revisão na justiça, a Aposentadoria sobe 78% no INSS. A Justiça tem sido a alternativa para que aposentados e pensionistas do INSS consigam corrigir erros no cálculo dos benefícios na época da concessão da aposentadoria. Em vários casos, conseguem sentenças favoráveis para revisar aposentadorias e pensões. Entre as possibilidades de aumentar o valor recebido, o aposentado deve entrar com processo pela revisão do teto no chamado Buraco Negro.

Mas quem tem direito a pedir essa revisão? De acordo com o advogado Murilo Aith, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, é preciso preencher alguns pré-requisitos. O principal deles é ter se aposentado pelo INSS entre 5 de outubro de 1988 e 4 de abril de 1991 – no período denominado como Buraco Negro – e não ter sido contemplado por revisão do teto em anos seguintes, mais especificamente em 1998 e em 2003. Nos dois anos, os valores limites de salários-de-contribuição eram de R$1.081,50 e de R$ 1.869,34, respectivamente.

“Milhares de aposentados têm o direito e não sabem, mesmo os que tiveram o benefício revisto entre 1992 e 1993 e não se aposentaram com 100% do teto na época, é grande a chance de ter o direito a revisão”, aponta.

O caso

A mais recente decisão foi proferida pela 9ª Vara Previdenciária Federal de São Paulo. Com a sentença, o aposentado foi favorecido com uma correção que mais do que dobrou o que ele ganha atualmente. E ainda vai render atrasados de R$ 308.627,32.

No caso do bancário aposentado A.P.N., de 77 anos de idade, morador da cidade de Piraju, em São Paulo, o benefício será corrigido em 78,92%. “Ele recebe hoje em dia R$ 2.692,80, mas com a decisão da Justiça seu benefício vai passar a R$ 4.817,94”, comemora o advogado. “Uma diferença de mais de R$ 2 mil”, acrescenta Murilo.

Ação é Popularmente Chamada de Revisão

“A ação é popularmente chamada de revisão, mas se trata de uma readequação, sem qualquer prazo decadencial”, diz.

“Ele recebe hoje em dia R$ 2.692,80, mas com a decisão da Justiça seu benefício vai passar a R$ 4.817,94”, comemora o advogado. “Uma diferença de mais de R$ 2 mil”, acrescenta Murilo.

“A ação é popularmente chamada de revisão, mas se trata de uma readequação, sem qualquer prazo decadencial”, diz.

O especialista adverte que ainda cabe recurso do INSS, mas diz estar confiante de que a decisão inicial será mantida.

Como Verificar se tem Direito

Um dado importante a destacar é que nem todos os aposentados se enquadram nesse tipo de revisão. O período do Buraco Negro afetou segurados do INSS que tiveram o benefício liberado à época – entre outubro de 1988 e abril de 1991 – e atualmente ganham mais de R$1.500. E isso ocorre porque as aposentadorias do INSS não foram reajustadas de acordo com a inflação acumulada no período.

Orientações

A orientação para verificar se o aposentado tem direito é simples: Basta o segurado olhar na carta de concessão de benefício se consta como limitado ao teto da época.

Caso o documento tenha essa indicação, o segurado pode fazer um pedido de revisão administrativa em uma agência do INSS.

Caso o pedido seja indeferido, o que é bem comum, é preciso recorrer à Justiça.

Fonte O Dia

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais