Assim como Fizeram Trump Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid

Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid-19

Assim como Fizeram Trump Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid: PIB do Brasil despenca 4,1% em 2020, Brasil tem pior década para a economia em 120 anos e por assim vai… Claro, tentando indicar que o problema é de Paulo Guedes e também do presidente Jair Bolsonaro.

Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid-19

Reparou, que: O lula ataca Petrobrás é OK, Dilma idem mas quando é o Bolsonaro… as ações da empresa caem. (Esquecem que em 2019 foi recorde de lucro, lucro esse que graças ao Lula…. é divido entre bandos).

Porém, vamos apenas ignorar o fato de que, o presidente da Petrobras será demitido e já sabe disso. Toda a mídia sabe disso. Entende, que o problema não é apontar o dedo, mas sim que Bolsonaro está a corrigi-lo! Ai, banqueiros, a mídia e os PTs choram mais um pouco de “dimdim” que irá deixar de entrar em suas cuecas e bolsos nos próximos meses.

Retornando ao PIB.. veja a chamada: Foi o maior tombo desde o início da série histórica atual do IBGE, iniciada em 1996. PIB per capita também teve queda recorde, de 4,8%. Apenas a agropecuária cresceu; indústria recuou 3,5% e serviços, 4,5%. Ritmo de recuperação desacelerou no 4º trimestre e economia encerrou o ano no mesmo patamar do início de 2019. Acho que alguém esqueceu da recessão mundial e também da pandemia certo?

E os ataques continuam

Com duas recessões em 5 anos, o Brasil fechou a década de 2011 a 2020 como o pior período para a economia em 120 anos. Por ano, o crescimento médio do PIB (Produto Interno Bruto) foi de apenas 0,3%, segundo cálculos da FGV (Fundação Getúlio Vargas). É o menor desde a década de 1901. Os dados são de estudo do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Quando nome importante, para “camuflar” o obvio. Não é necessário ter estudado economia para saber que tudo está fechando as portas, que os GOVERNADORES estão matando todas as economias locais.

Pra que utilizar nomes como:

  • FGV (Fundação Getúlio Vargas)
  • Ibre (Instituto Brasileiro de Economia)
  • FGV (Fundação Getúlio Vargas)

Cuidado com as Pegadinhas, que se dizem não “Fake News”

“É o maior recuo anual da série iniciada em 1996. Essa queda interrompeu o crescimento de três anos seguidos, de 2017 a 2019, quando o PIB acumulou alta de 4,6%”, informou o IBGE.

Veja bem… este 2020 com o Covid-19 ou novo coronavírus foi muito parecido com 2015 e 2016 de Dilma! Lembrando que ela tinha orçamento para as Olimpíadas e era uma fase pós COPA DO MUNDO.

Assim como Fizeram Trump Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid
Assim como Fizeram Trump Mídia fala da Retração PIB ignorando Covid

Principais destaques do PIB em 2020:

  • Serviços: -4,5%
  • Indústria: -3,5%
  • Agropecuária: 2%
  • Consumo das famílias: -5.5%
  • Consumo do governo: -4,7%
  • Investimentos: -0,8%
  • Exportação: -1,8%
  • Importação: -10%
  • Construção civil: -7%

Entre os principais setores houve alta somente na Agropecuária (2%), enquanto que a Indústria (-3,5%) e os Serviços (-4,5%) tiveram queda. Do lado da demanda, o consumo das famílias despencou 5,5% e os investimentos encolheram 0,8%.

“O resultado é efeito da pandemia de Covid-19, quando diversas atividades econômicas foram parcial ou totalmente paralisadas para controle da disseminação do vírus. Mesmo quando começou a flexibilização do distanciamento social, muitas pessoas permaneceram receosas de consumir, principalmente os serviços que podem provocar aglomeração”, avaliou a coordenadora de Contas Nacionais, Rebeca Palis.

Economia no mesmo patamar do início de 2019

O encolhimento do PIB em 2020 interrompeu uma sequência de 3 anos de crescimento tímido da economia e ocorreu antes do país ter conseguido se recuperar das perdas da recessão anterior, dos anos 2015-2016.

Embora tenha registrado dois trimestres seguidos de alta, o país encerrou 2020 com a economia 1,2% abaixo do patamar que se encontrava no 4º trimestre de 2019.

“A gente não voltou ao patamar pré-pandemia. Mas, ao mesmo tempo, na comparação com o pior momento da pandemia, que foi no segundo trimestre de 2020, nós recuperamos 11%”, afirmou Rebeca Palis.

De acordo com o IBGE, esse patamar é semelhante ao que a economia brasileira se encontrava entre o final de 2018 e início de 2019, e 4,4% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica do país, alcançado no 1º trimestre de 2014.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies