Ateneu para o cérebro é inaugurada em Santo André

0
71

Não são somente os músculos que precisam de exercício. O cérebro
também necessita ser estimulado sempre a término de
aprimorar habilidades cognitivas e emocionais, tais uma vez que
raciocínio lógico, pensamento estratégico, concentração,
autoconfiança e autoestima. Da mesma forma que se procura uma
ateneu[1] de
ginástica para modelar o corpo, hoje existe a opção de
ingressar em curso específico para “malhar a cabeça”.

Em Santo André, a franquia Supera inaugurou na última
segunda-feira mais uma de suas filiais (Rua das Palmeiras, 193
– Jardim) com a proposta de oferecer “ginástica para o
cérebro”. O negócio está presente em todos os Estados
brasileiros, com 270 unidades, das quais 182 já em
funcionamento. Além da recém-aberta, há mais uma unidade na
região, mas em São Bernardo (Rua João Pessoa, 296 – Meio).

“Nossa escola não ensina conteúdo, ensina a aprender”, diz o
gestor mercantil da filial andreense Bruno Guenka. Ele explica
que são utilizadas seis ferramentas no curso: ábaco, apostila,
dinâmica de grupo, neurobiótica (espécie de aeróbica para o
cérebro que prega a alteração de rotina, uma vez que trocar o relógio
de pulso de braço), jogos e plataforma online de exercícios.

O curso é indicado para pessoas de todas as idades e com os
mais diferentes objetivos. “O aluno mais novo do método tem 5
anos e o mais velho, 101. Antes da matrícula, faço duas
perguntas: se a pessoa é alfabetizada e se consegue ter
interação em grupo. São os únicos pré-requisitos”, explica
Guenka, que afirma que as atividades são vezes individuais,
vezes coletivas.

Ainda segundo o gestor, 40% do público são crianças entre 7 e
14 anos que procuram ir melhor na escola. Outros 40% são
recém-aposentados, com mais de 60 anos, fatia essa que mais
cresce. Outros 20% são aqueles que buscam melhorar o desempenho
para, por exemplo, passar em um concurso. As turmas são
separadas por idade, por conta da maturidade de cada grupo.
Avaliação prévia também é aplicada para verificar em que nível
cada indivíduo se encontra.

A funcionária pública Elaine Oliveira da Silva, 42 anos,
procurou a unidade da Supera da Freguesia do Ó, na Capital,
para melhorar a memorização em abril do ano pretérito. “Tinha
muita dificuldade. Cheguei ao ponto fazer anotações durante
meus estudos e não lembrar que tinha feito aquilo. Também tinha
problemas de concentração”, conta.

Hoje, após quase um ano, ela diz sentir bastante diferença em
seu rendimento. “Hoje consigo gravar até número de telefone de
cabeça. Além disso, antes qualquer fragor me atrapalhava e
tinha que voltar todo o serviço. Agora, pode tombar o mundo que
não interfere.”

Estrutura – As aulas acontecem uma vez por
semana e têm a duração de duas horas. A franquia recomenda 18
meses de curso, mas há quem ultrapasse esse período. “Tem gente
que faz há anos simplesmente por se sentir muito. Nosso curso é
personalizado, então essa opção existe.”

Os educadores recebem treinamento durante duas semanas na sede,
em São José dos Campos, no Interno. São selecionados
profissionais com nível superior, de preferência em Matemática
ou Pedagogia, e que têm experiência em sala de lição. Na Supera,
o máximo de alunos por classe é 12.

Os valores variam de R$ 230 a R$ 309 mensais, mas, segundo
Guenka, podem ser negociados. Até leste sábado, aulas grátis
podem ser agendadas em Santo André pelo telefone 4427-8098 ou
pelo e-mail [email protected]  

Ateneu para o cérebro é inaugurada em Santo André
Avalie esta notícia