CAF abre chamamento para projetos executivos de obras antienchente em Santo André

CAF abre chamamento para projetos executivos de obras antienchente em Santo André :

CAF abre chamamento para projetos executivos de obras antienchente em Santo André

[ad_1]

Data: 11/05/2021 14:16
/ Autor: Redação
/ Fonte: Prefeitura de Santo André

Banco internacional financiará estudos de canalização dos córregos Taióca e Maurício de Medeiros, além de outras intervenções; verba investida não precisará ser devolvida pelo município

Crédito: Divulgação / Semasa

A CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) abriu chamamento internacional para a contratação de projetos executivos de obras de drenagem e controle de enchentes na região dos córregos Maurício de Medeiros (Jardim Irene), Taióca (próximo ao Parque Estadual da Chácara Baronesa, na divisa com São Bernardo do Campo) e Guarará (nos bairros Vila América e Vila Pires).

“A medida tem como objetivo complementar intervenções executadas pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) por meio do Programa Sanear Santo André, que recebe financiamento de US$ 50 milhões pela instituição financeira e é um dos maiores investimentos em obras de saneamento, drenagem e infraestrutura urbana da história do município”, explica o superintendente do Semasa, Gilvan Junior. 

A CAF firmou junto à Prefeitura um acordo de cooperação técnica. Isto significa que a contratação dos projetos executivos, que têm orçamento de US$ 570 mil, será financiada com recursos a fundo perdido, sem necessidade de reembolso por parte da administração municipal.

O chamamento envolve o desenvolvimento e a atualização de projetos importantes que já foram idealizados pelo Semasa, como a canalização dos córregos Taióca e Maurício de Medeiros. Ambos sofrem com o descarte irregular de resíduos em suas margens e têm histórico de transbordamento. Além da canalização, estão previstas outras intervenções, como o remanejamento de redes de água e esgoto, implantação de dispositivos que compõem o sistema de drenagem e obra viária (este último na região do córrego Taióca).

Na Vila Pires, projeta-se a implantação de sete microrreservatórios (piscininhas), além de outras obras de drenagem, para deter parte significativa de águas pluviais e mitigar a possibilidade de extravasamento do córrego Guarará. A capacidade de armazenamento dos reservatórios será de cerca de 5.800 metros cúbicos de água.

Já na Vila América, um dos bairros mais afetados pelo transbordamento do Guarará, haverá desenvolvimento de estudos que buscam soluções para a melhoria do escoamento de águas pluviais.

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies