Ceni cita título sobre Liverpool para explicar revés: “Não é ciência exata”

0
97

Se algum torcedor se limitar a olhar os números de Audax x São
Paulo, pode pensar que o Tricolor venceu a partida até com
certa tranquilidade neste domingo. Para Rogério Ceni, porém, a
derrota por 4 a 2 em sua estreia como técnico no Paulistão só
prova que a matemática tem pouco a dizer no futebol.

"Se você pegar as finalizações, são 27 contra 12. Tivemos 55%
de posse de bola contra um time como o Audax, que tem como o
seu foco a posse de bola. Só que isso é matemática, e o futebol
é o que acontece dentro de campo. Já ganhamos do Liverpool com
17 escanteios contra nenhum. Futebol não é matemática ou
ciência exata. Usamos a matemática para montar o time dentro de
campo, mas não há ciência exata no número de oportunidades",
disse o treinador novato na entrevista coletiva após sua
primeira derrota.

Na ocasião lembrada por Rogério, um único gol oportunista de
Mineiro sagrou o São Paulo campeão mundial em dezembro de 2005
diante de um Liverpool que finalizou 21 vezes e teve 17
escanteios. Nesta tarde, o Tricolor sofreu os dois primeiros
gols antes que o placar da Arena Barueri marcasse 10 minutos no
primeiro tempo. Os atletas admitiram que Ceni os alertou sobre
um possível desligamento no início da partida.

"Eles tinham feito dois ataques e fizeram 2 a 0. Nós fomos
tendo chances lado a lado, e não é muito bom você ter uma
chance para fazer, uma chance para sofrer, uma para fazer, uma
para sofrer... Você tem que ter um pouco de equilíbrio e não
deixar o seu adversário chegar tanto. Aí teve a parada técnica
e deu para conversar um pouco mais, ali já estávamos bem
concentrados no jogo e chegando mais que o adversário",
acrescentou, já de olho no confronto da primeira fase da Copa
do Brasil contra o Moto Club, que ocorrerá no meio de semana.
"Viajar, fazer um treino leve na quarta, e na quinta-feira de
novo 90 minutos de luta", encerrou.

Ceni cita título sobre Liverpool para explicar revés: “Não é ciência exata”
Avalie esta notícia