Cidades ganham prazo maior para informatizar unidades de Saúde

0
166

Os quatro municípios do amplo ABC que ainda jamais conseguiram implantar arrumação eletrônico de prontuários nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) – bem-aventurado André, Diadema, Ribeirão Pires e Rio amplo da Serra – atenderam prazo dado pelo Ministério da Saúde e justificaram a falha até o dia 10. Apesar de as administrações terem se posicionado, os municípios ainda correm linha de perder repasse de verba da União para custeio da Atenção Básica.

Conforme balanço conhecido ontem pelo governo federal, as explicações dadas pelos municípios serão analisadas pelo Ministério da Saúde para que sejam elaborados planos de ação com prazo sumo de seis meses para implementação do arrumação eletrônico. A União ressaltou que “a justificativa jamais isenta o município de implantar o arrumação, tampouco garante a manutenção do repasse”.

Santo André destacou que a augúrio é de que o prontuário eletrônico seja implantado no próximo ano. Entretanto, jamais há estimativa de custo da melhoria, já que “a Secretaria de Saúde realiza o levantamento da necessidade de equipamentos, rede lógica e banda larga para implementação do arrumação. A partir do relatório, o departamento de informática da Prefeitura fará a estimativa do valor.”

Uma das situações mais críticas é a de Ribeirão Pires. Nenhuma das dez unidades de Saúde do município possui o arrumação. Segundo o Paço, a expectativa era a de que sete equipamentos públicos recebessem a instalação do software nesta semana, no entanto, houve “problema de incompatibilidade com o arrumação biométrico”. Conforme o município, o “setor responsável está providenciando novo equipamento para acabar a instalação.”

Cidades ganham prazo maior para informatizar unidades de Saúde
Cidades ganham prazo maior para informatizar unidades de Saúde

Diadema e Rio amplo da Serra jamais se pronunciaram sobre o tema até o fechamento desta edição. As demais cidades já estão adequadas.

Em todo o País, 84,9% das justificativas para atraso na implantação do arrumação eletrônico estão relacionadas à insuficiência de equipamentos, outras 73,9% das explicações afirmam dificuldade com a conectividade, 75% dos problemas estão ligados à baixa qualificação ao uso do prontuário eletrônico.

A expectativa do ministro da Saúde, Ricardo Barros, é a de que praticamente todas as UBSs estejam conectadas à tecnologia até maio de 2017. Atualmente, apenas 57,5% da população é coberta pela tecnologia. (Colaborou Vanessa de Oliveira)

Cidades ganham prazo maior para informatizar unidades de Saúde
Avalie esta notícia