Com Orçamento apertado, Chehade aposta em parcerias

0
89

Diante do Orçamento apertado já confirmado para 2017, o
ex-vereador de Santo André Marcelo Chehade (PSDB), nome
surpresa indicado pelo prefeito eleito Paulo Serra (PSDB) como
futuro secretário de Esportes, vislumbra parcerias com a
iniciativa privada na tentativa de tirar projetos do papel –
atualmente, a Pasta é ocupada pela ex-jogadora de basquete
Marta Sobral (PDT), em diversos momentos contestada no posto
durante o mandato do atual governo Carlos Grana (PT). O tucano
relembrou o acordo com a empresa Pirelli no passado para
apostar em novas empreitadas. “A Bridgestone, por exemplo, tem
sede na cidade. Vamos bater na porta, verificar incentivo
fiscal.”

Chehade reforça que a Bridgestone “é companhia que patrocina a
Copa Toyota Libertadores”, de futebol. “Podemos buscar essa
alternativa. Queremos que Santo André volte a ter pujança na
área”, disse o próximo titular de Esportes. A peça
orçamentária, formulada por Grana e aprovada na Câmara no
início do mês, estima arrecadação de R$ 3,18 bilhões, prevendo
queda na destinação de recursos para o setor. Diminuirá de R$
37,5 milhões no exercício vigente para R$ 33,7 milhões
estimados para o ano que vem. No ano passado, a queda já havia
sido significativa, quando o valor esperado era de R$ 75,6
milhões.

Paulo Serra reiterou que o aumento de verba fica diretamente
ligada ao restabelecimento econômico do município. Segundo o
prefeito eleito, a Prefeitura hoje “não cumpre as funções mais
básicas e está sem capacidade de investimento. “Dentro desta
situação, caberá a nós criatividade. Parcerias com o setor
privado, de fato, são caminho importante”, pontuou, ao
acrescentar proposta de recuperação de equipamentos públicos,
como o complexo Pedro Dell’Antonia e o Estádio Bruno Daniel.
“Queremos dar vida ao estádio, impulsionar, que não ficará
apenas ao futebol profissional. Essa é uma ideia para
implantação, deslocando a Secretaria de Esportes para as
dependências do local. Além de integrar, ainda vai gerar
economia ao livrar custo com aluguel de prédio.”

O futuro secretário pretende trazer projeto chamado Gibinha,
atrelado ao ex-jogador de vôlei Giba – plano já existe em
algumas cidades do Paraná, como Araucária, e está próximo de
Matão, em São Paulo. “Conversamos, recentemente, com o Giba
para tratar do programa, que, além de inclusão social a
crianças com o incentivo à prática esportiva, é voltado à
obesidade infantil. Ele esteve em Santo André. Faremos todos os
esforços para viabilizar também aqui”, frisou. O projeto piloto
teria despesa de R$ 400 mil no ano.

Com Orçamento apertado, Chehade aposta em parcerias
Avalie esta notícia