Com PED, PT tende a resgatar nomes em 2018

0
162

O resultado do PED (Processo de Eleições Diretas), com Zé Paulo
Nogueira uma vez que novo presidente do PT de Santo André, tende a
resgatar nomes que deveriam perder espaço na eleição de 2018. A
perpetuidade do grupo do ex-prefeito Carlos Grana (PT), que
apoiou na disputa interna Luiz Carlos da Silva, o Professor
Luizinho, poderia restringir a participação de quadros no
páreo. Dentro do atual prisma, o ex-parlamentar Vanderlei
Siraque é cotado para voltar a concorrer por vaga na Parlamento
Legislativa, em pugna por voto com o deputado estadual Luiz
Turco (PT), ainda dirigente da municipal, que vai para a
reeleição.

Em 2014, o então governo Grana trabalhou para seleccionar Turco, que
sagrou-se vitorioso na oportunidade. A dobrada reivindicada, no
entanto, não vingou. Isso porque a promessa do Paço era de
formação de campanha exclusiva para Turco (estadual) e Siraque
(federalista), que possui rejeição interna de algumas alas e já
vinha de duas derrotas eleitorais – uma majoritária e outra
justamente para federalista, embora tenha assumido secção
significativa da legislatura 2011-2015. Após o episódio no
pleito, chegou a ser sondado por outras legendas.

Três vezes deputado estadual, Siraque aderiu desde o primeiro
vez, assim uma vez que sua mulher, a vereadora Bete Siraque, à
campanha de Zé Paulo, que obteve mais votos na período inicial –
na última semana, Luizinho retirou seu nome da concorrência,
deixando o caminho livre para o ‘adversário’, que é diretor do
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Outra figura que deve se
colocar uma vez que postulante no pleito é o ex-secretário de Cultura
Tiago Nogueira. Vereador licenciado na legislatura passada, ele
não entrou na disputa eleitoral de outubro, sob argumento de
permanecer exclusivamente na coordenação da empreitada de Grana. O
ex-parlamentar pode restabelecer teoria de concorrer por cadeira na
Câmara Federalista. Oposição no Legislativo andreense, o vereador
Eduardo Leite, no segundo procuração, tem nome cogitado para
também disputar vaga no Congresso Vernáculo.

Depois da guião petista de 2016, Zé Paulo sustentou que o PT
sítio precisa “pensar grande”, visando seleccionar representantes
tanto no Parlamento paulista uma vez que na Câmara Federalista, além de
contribuir para as majoritárias. Apesar da declaração, segundo
ele, não há zero fechado. “São vários desejos que vemos
internamente. O Turco, por exemplo, em procura da reeleição, mas
o debate não foi iniciado. Faremos essa discussão com
transparência.” Sobre Siraque, o dirigente citou que é nome
“sempre lembrado”. “É quadro importante, só não sei a qual
(incumbência) ele se colocará à disposição.”

Com PED, PT tende a resgatar nomes em 2018
Avalie esta notícia