Com sentimentos distintos, clubes analisam temporada

0
54

O Santo André/Apaba e o São Bernardo/Instituto Brazolin/Unip encerraram as participações na Liga de Basquete Feminino na última semana. As equipes foram eliminadas nos play-offs de quartas de final por Blumenau e Vera Cruz/Campinas, respectivamente. O sentimento nos clubes, porém, foi distinto, já que o investimento e o nível técnico dos elencos são diferentes.
O Santo André, por exemplo, chegou às semifinais no ano passado e esperava evoluir nesta temporada. O time sofreu com as perdas de Tainá, que foi jogar na Europa, e Ariadna, que se transferiu ao Campinas pouco antes de a Liga começar, e tentou, sem sucesso, repor as vagas com as contratações das norte-americanas Starr Fairbanks e La’Queda Daves. O técnico Bruno Guidorizzi, no entanto, só teve a lamentar.

“Desde as saídas daquelas atletas (Tainá e Ariadna) sofremos um pouco. Trouxemos duas jogadoras de qualidade, mas, infelizmente, não deu certo. A Starr não se adaptou e a Daves teve lesão em um dos joelhos e não pôde mais atuar”, disse o treinador, que já busca reposições para as duas, que voltarão aos Estados Unidos após o encerramento do contrato.
Já o São Bernardo fez a sua primeira participação apostando na base e conseguiu surpreender ao terminar a participação na mesma fase do rival da região. O time sofreu, principalmente, por não ter realizado pré-temporada adequada, uma vez que foram somente sete dias de treinamentos.
O técnico Márcio Bellicieri explicou as dificuldades encontradas. “Estamos satisfeitos pelo contexto. Tivemos um pouco de deficiência, queríamos ter outras peças, mas acho que foi positivo. Elas encararam bem. Fizemos jogos ruins, e fizemos jogos bons. Começamos a treinar muito em cima da competição. Não dá para trabalhar com resultado com essa proposta, é um processo mais lento. Tentamos dar consistência, mas vamos começar o trabalho realmente agora, já que teremos mais tempo para treinar”, disse o treinador, que teve sua equipe elogiada pelo gestor do clube, André Brazolin.
“A nossa participação de estreia na LBF foi extremamente positiva, com muitos pontos a serem comemorados, pois cumprimos o objetivo de contar com elenco jovem, abrindo espaço para o surgimento de valores, coisa que o basquete feminino brasileiro precisa urgentemente. E foi o que realmente aconteceu, especialmente com a armadora Lays da Silva e a lateral Thayná Silva, que certamente vão estar na Seleção Brasileira em breve e devem figurar entre os destaques deste campeonato”, comentou Brazolin, que irá se reunir com a Secretaria de Esportes de São Bernardo e com a Unip (Universidade Paulista) – parceiras no projeto – para analisar o futuro da equipe.
Agora, tanto o Santo André quanto o São Bernardo vão se preparar para as disputas dos Jogos Regionais, que serão disputados na cidade andreense, no meio do ano, e para o Campeonato Paulista, programado para ocorrer apenas no segundo semestre. 

Com sentimentos distintos, clubes analisam temporada
Avalie esta notícia