Curso no SEHAL ajuda empresários a lucrar e reduzir custos

Curso no SEHAL ajuda empresários a lucrar e reduzir custos

 

O objetivo de todo o estabelecimento mercantil, de reduzir custos e lucrar mais foi o enfoque do workshop realizado gratuitamente na tarde de quinta-feira (21) no SEHAL (Sindicato das Empresas de Alimento e Hospedagem do Grande ABC). Dirigido aos proprietários e profissionais da categoria na Região, o evento teve a parceria do Grupo Betel, especializado em segurança cevar. A escola SEHAL fica localizada na Rua Laura, 214, Meio, Santo André.O curso destacou aspectos para serem observados pela gestão do empreendimento uma vez que diminuir custos com a equipe, material prima, desperdícios de víveres, produtos e limpeza.Ministrado pela auditora Luciana Rodrigues de Almeida, do Grupo Betel, com sede em São Caetano, a principal estratégia é o planejamento, seja de um empreendimento que será criado ou de um já estabelecido. “Nada dá certo, sem isso”, disse.Entre os diversos tópicos, o treinamento e motivação dos colaboradores são orientações fundamentais para os empresários. “O envolvimento da equipe é muito importante. Sem comunicação, o trabalho não flui. Além disso, em reuniões se descobrem talentos e ainda motiva o funcionário que se sente fazendo parte do negócio”, explicou.Supra de tudo, adotar essas ações resultam em varar perdas, aumentar a produtividade e diminuir a rotatividade.Luciana destacou que o coração de um restaurante não é a cozinha ou a produção, mas sim o estoque. “Se não tiver um armazenamento adequado, não se tem o resto. Se ele bater descompassado, o final está errado. É preciso observar o controle de recebimento como produto danificado, vencido, violado, qualidade e pesagem incorreta”, afirmou.A sazonalidade dos produtos também é um ponto a ser considerado. “A compra de alimentos deve ser os da época que têm melhor qualidade e preço por serem itens típicos do período o que, consequentemente, resulta em redução de custos”, ensinou. A redução do desperdício de víveres passa pela quantidade de itens comprados, da frequência do uso e do descarte.Algumas práticas ainda devem ser consideradas uma vez que manutenção dos equipamentos e consumo de chuva e vigor. “É fundamental conscientizar o funcionário sobre uma torneira aberta indevidamente, por exemplo”.A auditora lembrou que é necessário rever conceitos e elaborar planilhas de sobras uma vez que o que é comprado, pronto e vendido. “A conta tem que bater, o que entra tem que ser maior que o gasto, senão pode haver desperdício como descarte desnecessário ou preparo errado”, explicou.O presidente do SEHAL, Roberto Moreira, reforçou que o SEHAL está à disposição da categoria, possui serviços, benefícios, cursos gratuitos, qualificação e capacitação que ajudam o desenvolvimento dos estabelecimentos.

Evento foi realizado em parceria com o Grupo Betel, especializado em segurança alimentar.O objetivo de todo o estabelecimento comercial, de reduzir custos e lucrar mais foi o enfoque do workshop realizado gratuitamente na tarde de quinta-feira (21) no SEHAL (Sindicato das Empresas de Alimentação e Hospedagem do Grande

Tudo Sobre a cidade de Santo André

Ou leia mais sobre todas as 7 cidades do Grande ABC Paulista.

 

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais