Empresa de entregas de bike se instala em Sto.André

236

Muitos profissionais sonham em transformar uma paixão em
negócio rentável. E alguns conseguem tal proeza. É o caso de
André Biselli e Victor Castello Branco, que atuavam com Recta
e no mercado financeiro, respectivamente, e não abriam mão da
bicicleta para ir e voltar do trabalho.

“Cinco anos atrás tive problema com o motoboy no banco em que
trabalhava, e me prontifiquei a entregar um documento na minha
bicicleta. Foi quando tive o estalo de que aquele poderia ser
um serviço sustentável e mais econômico às empresas”, conta
Castello Branco.

De lá para cá, ele e o sócio lançaram a Courrieros, sediada na
Capital, e quase a quebraram por começar focando unicamente na
entrega de documentos e serviços em cartório. Foi quando
passaram a atender também clientes de e-commerce (hoje
responsável por 55% da receita) e restaurantes (35%). Abriram
unidade no Rio de Janeiro em 2015 e alcançaram, no ano pretérito,
faturamento de R$ 2 milhões e 120 funcionários.

Recentemente os empresários se atentaram ao potencial do Grande
ABC, segundo Castello Branco, a pedido de cliente do ramo de
vestuário que alegou ter poderoso demanda para entregas na região,
além de estrutura de ciclofaixas.

Com investimento de R$ 70 milénio, escolheram galpão em Santo André
e possuem cinco vagas abertas para iniciar as atividades no dia
18 – a teoria é começar com dez pessoas e, em um ano, contratar
60. Os profissionais que realizarão a entrega devem ter
“experiência em pedal urbano”. Os salários giram em torno de R$
1.500, mas podem chegar a R$ 2.000 conforme bonificação
decorrente de bom atendimento, qualificado pelo cliente no
momento em que recebe sua mercadoria. Interessados podem enviar
o currículo para [email protected]

“A base de Santo André irá atender as cidades de São Bernardo,
São Caetano, Mauá e a Zona Leste de São Paulo”, diz Castello
Branco. “Vamos oferecer três tipos de serviço. Para entrega de
e-commerce, o ciclista transporá da própria base. Para
restaurantes, o profissional permanecerá no estabelecimento, que irá
remunerar por hora. E, para entregas expressas, ele transporá de pontos
de espeque nas cidades atendidas, por isso teremos de contratar
pessoas em todas as localidades.”

O empresário defende que para atendimentos em relâmpago subalterno a
cinco quilômetros, o serviço custa em média 30% mais barato do
que o de uma motoentrega, e sai entre R$ 15 e R$ 17. “Essa
diferença impacta no preço do frete e retém mais o cliente. Que
também amplia seu interesse quando consome de empresa
sustentável, já que o serviço não polui. Além disso, o tempo
para a entrega é praticamente o mesmo. Diferentemente de
distâncias mais longas, supra de dez quilômetros, em que fica
mais dispendioso e o tempo é maior.”

Castello Branco conta que as entregas e avaliações são
controladas por aplicativo, a término de evitar o uso de papel. No
portfolio da Courrieros estão nomes porquê Nestlé, Google,
Netshoes, Nespresso, Walmart.com, Magazine Luiza, The Fifties e
Giuliana Flores. A projeção é penetrar outras duas bases na
Capital até dezembro e fechar o ano com faturamento de R$ 3,5
milhões. Em 2018, a base andreense responsabilidadeá gerar receita de R$ 1
milhão. 

Empresa de entregas de bike se instala em Sto.André
Avalie esta notícia