Espasmo Hemifacial – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

O espasmo hemifacial trata-se de um tipo de distonia que provoca contrações involuntárias e indolores dos músculos de um dos lados do rosto (raramente nos dois lados). O espasmo hemifacial ocorre devido a uma disfunção do 7º nervo craniano, responsável pelo movimento dos nervos faciais. O evento pode afetar ambos os sexos, mas atinge sobretudo as mulheres de idade mais avançada. Espasmo Hemifacial – CausasAs causas do espasmo hemifacial não são completamente conhecidas, mas o transtorno pode ocorrer devido a uma artéria mal posicionada ou à curvatura de uma artéria, responsável pela compressão do nervo craniano facial.  O espasmo pode ser provocado também pelo uso de determinados medicamentos, doenças que acometem a estrutura do cérebro, fatores genéticos, entre outros. Espasmo Hemifacial – Diagnóstico Diante dos sintomas de espasmo hemifacial, durante a consulta médica, o médico solicitará exames de imagem por ressonância magnética para diagnosticar a doença. O exame é capaz de detectar a alça anormal da artéria comprimindo o nervo craniano facial. Além das dificuldades e da limitação para movimentar os músculos da face que o espasmo hemifacial provoca, ele também gera desconforto estético e minimiza a autoestima do paciente. Por isso, o tratamento contra a doença deve ser iniciado logo após a manifestação dos sintomas. Se você sofre de espasmo hemifacial, não exite em marcar uma consulta com o médico neurologista de sua confiança, capaz de diagnosticar o espasmo e prescrever o tratamento adequado. Espasmo Hemifacial – Tratamento Existem três possibilidades mais comuns de tratamento para o espasmo hemifacial: o tratamento medicamentoso para controle parcial dos sintomas, a aplicação de toxina botulínica e a cirurgia. Somente os médicos especialistas em transtornos do movimento saberão prescrever o tratamento adequado para cada paciente, de acordo com suas especificidades.A toxina botulínica geralmente apresenta bons resultados, mas exige reaplicação regular com intervalo de alguns meses. A mesma deve ser aplicada na região afetada pelos espasmos, por um médico especialista treinado. Espasmo Hemifacial – Cirurgia de Descompressão O procedimento cirúrgico é indicado nos casos em que nem o tratamento à base de medicamentos e nem a aplicação da toxina botulínica foram eficazes no combate dos espasmos. A cirurgia de descompressão é realizada pelo médico neurocirurgião, e é eficaz nos casos de espasmo provocado por uma artéria mal posicionada. O procedimento é realizado sob anestesia geral do paciente e o risco de reações adversas é pequeno. O procedimento cirúrgico se dá da seguinte forma: raspa-se uma área na região posterior da cabeça e faz-se um corte. O neurocirurgião faz um pequeno orifício no crânio e, em seguida, levanta o revestimento cerebral para expor o nervo. A artéria e o nervo são separados e é colocada uma pequena esponja entre ambos. Na maioria das vezes, este procedimento cirúrgico alivia a dor do paciente.

Espasmo Hemifacial – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies