Ex-São Paulo volta de férias e descobre que time não o quer na Rússia

0
51

Divulgação

No dia 10 de janeiro, o zagueiro brasileiro Xandão, ex-São
Paulo, voltou para a Rússia após as férias de fim de ano. Ele
se preparava para sua segunda temporada no Anzhi Makhachkala.
Quando chegou a Moscou, onde morava, porém, descobriu que tudo
tinha mudado.

O bilionário Suleyman Kerimov (o mesmo que contratou Samuel
Eto’o e Roberto Carlos para o time russo) vendeu a equipe e a
nova administração resolveu cortar custos. “Quando cheguei das
férias, fui avisado que os novos donos estavam liberando todos
os estrangeiros para procurar novos clubes, seja por empréstimo
ou por rescisão de contrato”, contou o jogador ao UOL
Esporte.

A decisão afetou muita gente. O inglês Obertan veio da
Inglaterra em agosto de 2016, jogou seis meses, fez nove
partidas e já voltou para a Inglaterra, contratado pelo Wigan.
O mesmo aconteceu com o zagueiro ganense Jonathan Mensah, que
trocou o Evian pela Rússia e, dez meses depois, vai jogar nos
EUA, no Columbus Crew.

Xandão tinha apenas seis meses de clube e só sete jogos pelo
Anzhi. Mas ainda segue ligado ao clube. “Eu ainda tenho dois
anos e meio de contrato e não considerei aceitável concordar
com uma rescisão sem ser indenizado por isso”, explicou.

Essa decisão afetou o brasileiro. De 10 a 31 de janeiro, quando
a janela de transferências do futebol europeu estava aberta,
ele foi separado do grupo que fazia a pré-temporada. “Assim que
a janela fechou, fui reintegrado e estou treinando com os
outros jogadores. Acho que não sofrerei nenhuma represália (por
seguir no time mesmo após a pressão por uma saída), mas sigo
buscando uma alternativa boa para mim e que entre nessa nova
política do clube”.

Neste sábado, a assessoria do jogador informou que ele chegou a
um acordo para ficar no clube até o meio do ano: “Desde o final
do ano passado, o empresário do jogador, Renato Figueiredo,
mantém contato com o vice-presidente do Anzhi e já estava
ciente da situação. Como o contrato do zagueiro está totalmente
respaldado pelas normas internacionais da Fifa e o clube
investiu alto para contrata-lo, ficou acordado que o atleta
permanecerá no Anzhi até o meio do ano. Figueiredo resalta,
ainda, que recebeu diversas propostas, mas que, após
analisa-las e conversar com Xandão, ambos decidiram que o
melhor, neste momento, seria seguir na Rússia, até porque o
brasileiro irá adquirir a cidadania italiana em poucos meses e,
com o documento em mãos, haverá ainda mais possibilidades”, diz
o comunicado.

Ex-São Paulo volta de férias e descobre que time não o quer na Rússia
Avalie esta notícia