Extensão de lazer é esperada há três anos

181

População do Jardim Santo André, uma das áreas mais carentes de
Santo André, aguarda desde 2014 por obra que trará lazer,
práticas esportivas e mais qualidade de vida aos moradores.
Aquém- assinado com 1.050 assinaturas foi feito pela
comunidade e protocolado na Prefeitura no dia 1º. O Executivo
andreense disse ao Diário, em nota, “que com o requerimento
recebido, a administração poderá discutir com a comunidade uma
utilização para o terreno em questão”.

Em abril de 2014, com a instalação da 2ª Companhia do 41º
Batalhão da Polícia Militar no bairro, ficou projetado que o
espaço, de aproximadamente 4.300 metros quadrados, e que
pertence ao terreno da unidade policial, seria transformado. A
teoria é edificar quadras poliesportivas, campo de futebol
society, plauground, pista de corrida e marcha, além de
liceu[1] ao ar
livre.

O requerimento foi promovido pela Associação Beneficente do
Jardim Santo André e Adjacências, com suporte da Polícia Militar.
Orçamento feito por eles estima que o investimento para o
empreendimento seria em torno de R$ 1,1 milhão. “Cá não tem
esporte nem cultura e, com esse equipamento, trabalharíamos as
partes física, mental e a cidadania de crianças e jovens”, fala
a presidente da associação, Sonia Cristina Augusto da Silva, 50
anos. “O prefeito esteve cá em maio e disse que em 15 dias
nos daria retorno. Sem resposta, fizemos o requerimento”,
conta.

O capitão da 2ª Companhia, Rogerio Dias Bastos, ressalta a
importância que a realização da obra traria à população. “O
Jardim Santo André tem o IDH <CF51>(Índice de
Desenvolvimento Humano) mais grave do município. (A obra) É até
uma forma de melhorar o IDH.”

A Polícia Militar seria, inclusive, parceira da associação.
“Cogitamos a teoria de que os policiais formados em Educação
Física sejam treinadores de 200 crianças e adolescentes, porque
nossa intenção é voltar com a escolinha de futebol que
tínhamos, cuja área onde funcionava foi invadida no ano
pretérito”, relata Sonia. O estudante Matheus da Silva, 14, torce
por isso. “Atividades assim evitam que as pessoas fiquem na
rua, usando droga e roubando.” 

Extensão de lazer é esperada há três anos
Avalie esta notícia