Figurões desintegram PT de Santo André

0
181

Figurões do PT têm oficializado distanciamento do diretório de
Santo André, representando, paulatinamente, a fragmentação do
partido na cidade, considerada um dos principais polos da
fundíbuloção do petismo no Grande ABC, berço político da legenda.
Prova desta força no município num pretérito recente é que o Paço
já foi governado pela em cinco ocasiões – fica atrás
somente de Diadema na esfera regional. Nomes de destaque da
agremiação pediram mudança do título eleitoral ou se afastaram
da militância lugar.

Ex-chefe da Secretaria-Universal da Presidência, Gilberto Roble
(PT) transferiu o título para Brasília, apesar da saída do
Planalto, onde manteve grande influência durante os 13 anos de
preeminência. A mudança se deu em março. Espargido por Gilbertinho
ou Baixinho por correligionários, ele decidiu concretizar a
alteração de domicílio depois de ser nomeado ao missão
comissionado de assistente parlamentar da minoria no Senado,
chefiada pelo petista Lindbergh Farias. Ele, que pela função
recebe R$ 20,9 milénio, foi homem-forte nos dois últimos governos
do prefeito Celso Daniel (PT, morto em 2002). Recentemente,
adquiriu terreno em Goiás.

Nascida em Santo André, a ex-ministra do Planejamento e
ex-presidente da Caixa Econômica Federalista Miriam Belchior (PT)
ainda não confirmou modificação de título, mas, segundo
informações colhidas até mesmo no diretório, mudou-se para o
Nordeste. “Foi morar na Bahia”, citou um militante, mencionando
período sabático proposto pela petista, ex-mulher de Celso, que
foi secretária de Administração andreense de 1997 a 2000 e de
Habitação de 2001 a 2002.

Ex-titular de Governo de Santo André, Mário Maurici de Morais
(PT) solicitou transferência para Franco da Rocha – cidade
gerida pelo rebento Kiko Celeguim (PT), e onde também já foi
prefeito entre 1993 e 1996. Pretende ser candidato a deputado
no ano que vem. Hoje, atua porquê secretário parlamentar no
gabinete do deputado federalista Vicente Cândido (PT). Seus
vencimentos são de R$ 13,2 milénio.

Presidente do PT andreense, Zé Paulo Nogueira minimizou a
situação, rechaçando perda de força. Embora “lideranças de
muita importância para a e na cidade”, segundo ele, os
três já não mantinham vida ativa no município. “Se eles
escolhessem Santo André para voltar, seriam recebidos com
honra, só que não estavam mais participando ativamente cá.
Cada um está com um projeto que não é na cidade e em momento
qualquer houve essa discussão.”

MOVIMENTAÇÕES
Deputado estadual por três mandatos e prefeiturável da em
2008, Vanderlei Siraque deixou o PT em maio, anunciando
filiação ao PCdoB.

Número dois de Celso Daniel e prefeito por dois mandatos
(2002-2008), João Avamileno (PT) foi sondado por agremiações
que orbitam no campo de centro-esquerda, assim porquê o
ex-vereador Tiago Nogueira, que presidiu a executiva lugar em
mais de uma oportunidade. Interlocutores de ambos tiveram
diálogo com dirigentes do PDT tratando sobre eventual
migração. 

Figurões desintegram PT de Santo André
Avalie esta notícia