FMABC realiza Simpósio Internacional de Reprodução Humana e Genética

0
192

Dr Caio Parente Barbosa

Crédito: divulgação

A Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) realiza de 18 a 20 de
maio a segunda edição do Simpósio Internacional de Reprodução
Humana e Genética e da Jornada Multidisciplinar de Doenças
Raras. Em parceria com o Instituto Teoria Fértil e o Grupo de
Atenção Integral à Doenças Raras, os eventos ocorrerão no Hotel
Pullman Vila Olímpia, na Capital (Rua Olimpíadas, 205).

Entre os destaques da programação científica está um tela
franco à população, com ingresso gratuita, tal qual tema será as
“Perspectivas Reprodutivas das Pessoas Portadoras de Genes de
Doenças Raras”. Especialistas em genética, reprodução humana e
em doenças raras estarão à disposição de pacientes, familiares
e de demais envolvidos com tema, que será abordado dia 18, às
20h30. Interessados devem se inscrever pelo e-mail:
[email protected]

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

O 2º Simpósio Internacional de Reprodução Humana e Genética e a
2ª Jornada Multidisciplinar de Doenças Raras narrarão com duas
palestras na buraco. A médica coordenadora do Programa de
Triagem Neonatal da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo,
Dra. Carmela Grindler, falará sobre “Verdade das doenças
raras no Estado de São Paulo – Rede DORA”, enquanto a
professora titular de Genética do Instituto de Biociências da
Universidade de São Paulo (USP), Mayana Zatz, abordará o tema
“Edição genética dos embriões: sistema Crispr Cas 9 e aspectos
éticos”.

Ao longo dos dias serão mais de 90 convidados nacionais – todos
especialistas renomados em grandes hospitais, instituições de
ensino, clínicas e centros de pesquisa do país. Também terá
participação do convidado internacional, Dr. José Horcajadas,
que é diretor científico da Recombine e da SINAE SL (as duas na
Espanha), professor junto de pesquisa da EVMS (Virginia, EUA)
e professor titular da Faculdade Pablo Olavide (Sevilha,
Espanha).

“A décima edição do Rare Disease Day, em 28 de fevereiro de
2017, defendeu maior atenção às pesquisas científicas, pedindo
a participação de universidades, pesquisadores e pacientes em
investigações relacionadas ao diagnóstico e tratamento das
doenças raras. Sabendo da importância do diagnóstico precoce e
até pré-implantacional de algumas dessas doenças, e de todas as
dificuldades encontradas pelos médicos em mourejar com esses
pacientes, preparamos a segunda edição do Simpósio e da
Jornada”, explica o presidente do evento e professor titular da
disciplina de Saúde Sexual, Reprodutiva e Genética Populacional
da FMABC, Dr. Caio Parente Barbosa, que acrescenta: “Na
primeira edição, em 2016, geramos impacto importante na
comunidade científica, com público de 352 inscritos. Neste ano
ampliamos o projeto, com uma série de cursos pré-simpósio e
temas de interesse às diversas especialidades envolvidas no
séquito, diagnóstico e tratamento de doenças raras,
genéticas ou não”.

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES

O simpósio e a jornada têm uma vez que público-alvo ginecologistas que
atuam na área de reprodução humana, obstetras, clínicos,
pediatras, médicos especialistas de áreas relacionadas ao
séquito de doenças raras, profissionais de enfermagem,
nutricionistas, biomédicos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas.
Mais informações e inscrições pelo site
http://simposioideiafertilabc.com.br.

CENTRO DE REFERÊNCIA DE DOENÇAS RARAS

A região do ABC Paulista ganhou neste ano o primeiro Meio de
Referência de Doenças Raras do Estado de São Paulo. O projeto
desenvolvido pela Faculdade de Medicina do ABC foi ratificado em
meados de 2016 pelo Governo do Estado e credenciado pelo
Ministério da Saúde. Trata-se de trabalho pioneiro, com
atendimento 100% gratuito e que procura oferecer em um único
espaço diversos especialistas, exames específicos e trabalho
multidisciplinar para o atendimento integral a pacientes com as
mais diversas patologias raras. A marcação de consultas está
ensejo aos interessados, que podem obter mais informações pelo
telefone (11) 4433-2846.

Segundo definição da Organização Mundial da Saúde, a doença
rara caracteriza-se uma vez que aquela que afeta até 65 pessoas a cada
100.000 indivíduos – ou seja, 1,3 pessoa num grupo de 2.000. O
problema atinge aproximadamente 5% da população, comprometendo
milhões de pessoas ao volta do mundo. Estima-se que 80% dos
casos têm origem genética e 50% afetam crianças – sendo que 30%
morrem antes dos 5 anos de idade. Até o momento, murado de 7.000
doenças raras já foram identificadas, cujas características
principais são a natureza complexa, a evolução crônica e
debilitante. Essas particularidades, associadas ao entrada
restringido aos tratamentos e serviços especializados, têm grande
repercussão no cotidiano de milhões de famílias.

FMABC realiza Simpósio Internacional de Reprodução Humana e Genética
Avalie esta notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here