FPF ignora regra e inclui Santo André

0
76

A FPF (Federação Paulista de Futebol) ignorou seu próprio
regulamento e vai permitir que o Santo André dispute o
Paulistão-2017, apesar de o estádio indicado pelo clube, o
Bruno Daniel, não ter iluminação. Ontem, no recomendação técnico na
sede da entidade, em São Paulo, foram sorteados os grupos do
torneio e o Ramalhão integra o C, enquanto o São Bernardo está
no A.

A diretoria do Santo André se comprometeu a informar para a FPF
nas próximas semanas se a Prefeitura conseguirá instalar as
torres de iluminação no estádio para que a entidade produza a
tábua, que, de harmonia com o Regime do Torcedor, tem de ser
divulgada até o dia 29. Caso não consiga, o Ramalhão mandará
seus jogos à tarde, mas não terá outros problemas. Apuração do
Diário constatou que nos próximos dias serão instaladas 1.000
cadeiras na arquibancada reconstruída recentemente para executar
outra exigência do regulamento universal do Campeonato Paulista.

O Diário tentou falar com o Coronel Isidro Suita, responsável
pelo departamento de infraestrutura de estádios, mas não
conseguiu localizá-lo.

MESMO FORMATO
A edição 2017 do Paulistão repetirá a fórmula usada desde 2014.
Os clubes foram divididos em quatro grupos com quatro times em
cada um. Na primeira temporada, enfrentarão os adversários das
outras chaves. Os dois melhores de cada grupo avançarão e se
enfrentarão nas quartas de final. Já os dois últimos na
classificação universal serão rebaixados para a Série A-2.

Ao contrário do que ocorreu nesta temporada, todas as partidas
do mata-mata, inclusive a final, serão disputadas em ida e
volta, com o segundo jogo no estádio do time com melhor
campanha. A competição está prevista para começar no dia 29 de
janeiro e perfazer em 7 de maio.

TROFÉU DO INTERIOR
A principal novidade anunciada ontem foi a volta da disputa
entre os clubes do Interno, que servirá para mantê-los em
atividade por período maior no primeiro semestre. O torneio
será disputado pelos seis clubes que não conseguiram vaga no
mata-mata e nem foram rebaixados à Série A-2. O regulamento
será definido posteriormente, mas a competição dará ao campeão
vaga na Despensa do Brasil do ano seguinte.

PREMIAÇÃO
Também foi definido o valor que os clubes vão receber de harmonia
com o desempenho. O campeão levará R$ 5 milhões e o vice, R$
1.650 milhão. Os prêmios são decrescentes até o 14º, que ganha
R$ 110 milénio. No totalidade serão R$ 11 milhões, recorde do torneio.

Ramalhão aprova fórmula e diz que objetivo é não ser
rebaixado

Apesar da euforia da torcida com o retorno do Santo André à
escol, a diretoria tratou de colocar os pés no chão e analisou
com frieza o sorteio realizado ontem, na FPF (Federação
Paulista de Futebol). O Ramalhão foi representado pelo
presidente do recomendação deliberativo, Celso Luiz de Almeida,
pelo assessor da presidência, Carlito Arini, e pelo gerente de
futebol, Sérgio do Prado.

“O Santo André tem muito evidente o que quer. Vamos por etapas. É
uma retomada do clube na escol do Campeonato Paulista, fórmula
dissemelhante e temos de ter humildade, inteligência, mas sem
olvidar da nossa força, da nossa camisa, da nossa torcida e da
tradição do Santo André”, comentou Arini.
O Ramalhão tem porquê primeiro objetivo se manter na Primeira
Divisão e a diretoria calcula que o time precisará de 15 pontos
para atingir a meta. A classificação entre os dois primeiros do
grupo seria consequência, mas pode levar o clube à Série D do
Brasílio.

Arini aprovou o formato do Paulistão. “Achei interessante as
duas fases, principalmente o mata-mata em dois jogos. A
Federação conseguiu situação interessante para o torneio do
Interno, onde terá premiação financeira e a vaga na Despensa do
Brasil, o que valoriza a competição”, ressaltou o assessor.

Agora, a expectativa é pela montagem do elenco. “Essa semana
faremos reunião universal para sacramentar algumas coisas. Com a
realização do arbitral podemos tomar algumas decisões na
contratação de jogadores”, despistou ele. AF

Mandatário do São Bernardo considera grupos
nivelados

Corinthians, Ituano e Botafogo. Estes são os clubes que
dividirão o Grupo A com o São Bernardo no Paulistão-2017. E, na
avaliação do presidente Thiago Ferreira, a chave do Tigre não
destoa das demais.

“Não tem grupo fácil ou difícil. O que caiu está posto. Chave
equilibrada, o Corinthians é o predilecto à classificação, Ituano
campeão há dois anos, Botafogo time de Série C do Brasílio.
Todos os grupos estão nivelados, o que é bom”, afirmou após o
sorteio, na sede da Federação Paulista de Futebol.

Em 2014 (décimo) e 2016 (sexto), anos dos melhores desempenhos
do Tigre, a diretoria considerou que integrou o grupo da morte.
Agora, não é exatamente o caso, mas… “As duas vezes que
dissemos estar no grupo mais difícil fizemos nossas melhores
campanhas. Então, vamos considerar novamente nossa chave porquê a
mais difícil por boa campanha de novo”, brincou o dirigente.

Thiago Ferreira ainda elogiou a volta da competição entre
equipes interioranas após o término da temporada inicial, apesar de não
querer efetivamente disputá-la – o que significaria a não
classificação ao mata-mata. “O retorno do campeonato do
Interno é magnífico. Um problema para esses times é que o
contrato é feito até o término da competição, mas se acaba seis
rodadas antes (na primeira temporada), a gente tem de remunerar seis
rodadas sem o desportista estar jogando. Brigamos por isso lá atrás
e foi confirmado por unanimidade. A vaga na Despensa do Brasil ao
campeão é um atrativo a mais, além da premiação financeira.”
DB

FPF ignora regra e inclui Santo André
Avalie esta notícia