FUABC lança instrumento virtual para gerenciamento de resíduos
Avalie esta notícia

Crédito: Divulgação/Comunicação FUABC

A Fundíbuloção do ABC (FUABC) lança, a partir de 1º de agosto, uma
instrumento que permitirá o registro simplificado e padronizado
de todas as ações de coleta e descarte de resíduos comuns e
infectantes de suas unidades gerenciadas. Atualmente, são 18
hospitais e três Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs).
Desta forma, os gestores ambientais das mantidas poderão
informatizar dados, gerar indicadores e relatórios mais
concisos e, principalmente, transformar números em informação
para identificar possíveis melhorias. Antes, o trabalho era
feito de forma manual e independente.

A plataforma on-line, apresentada às mantidas em 18 de julho
para ajustes finais, foi desenvolvida pela equipe de Tecnologia
da Informação da FUABC em parceria com o Programa de Meio
Envolvente e Sustentabilidade da instituição. Os gestores, que
receberão login e senha, vão monitorar o tipo e volume exatos
dos resíduos gerados e o quanto foi descartado, podendo receber
alertas sobre armazenamentos pendentes. Os resíduos são
classificados uma vez que geral, infectante, reciclável, radioativo,
químico e perfurocortante (ver quadro).

A instrumento, elaborada via sistema TOTVS (software de gestão),
produzirá indicadores de modo eficiente e automático, o que
facilitará o gestor na tomada de decisões e alinhamento
estratégico de ações. As melhorias alcançadas serão discutidas
nas reuniões entre os gestores ambientas das mantidas e da
FUABC que já acontecem mensalmente.

“Precisamos mobilizar administradores e todos os colaboradores,
para que valorizem a importância da gestão responsável de
resíduos de Saúde e seus impactos econômicos e ambientais. Os
gestores usavam planilhas individuais e, agora, teremos
controle padronizado das informações, ordenado troca de
experiências e um quadro universal das ações em tempo real”,
disse a gestora ambiental da Fundíbuloção do ABC, Cristina
Passaretti.

A presidente da FUABC abriu a reunião de apresentação da
instrumento e endossou a importância das mantidas integrarem o
projeto. “A adesão ao novo sistema é importante para que o
trabalho seja corretamente documentado e gere melhorias não só
ao ecossistema, mas também à comunidade na qual a unidade de
Saúde está inserida. Nossa equipe de sustentabilidade é
proativa, muito atuante e permanece à disposição de todos os
gestores”, disse Dra. Maria Bernadette Zambotto Vianna. O
treinamento coletivo para utilização da instrumento está marcado
para 26 de julho.

Cada mantida da Fundíbuloção do ABC é responsável por separar,
acondicionar e identificar os resíduos gerados, que podem ser
desde luvas, seringas, gessos, materiais biológicos, bolsas de
sangue até bisturis, lâminas e filmes de raio-X. Se descartados
em aterros comuns, os materiais podem provocar nociva
contaminação do envolvente. Por isso, as unidades mantêm contrato
com empresas especializadas no descarte seguro dos resíduos,
conforme normas técnicas e resoluções da Agência Pátrio de
Vigilância Sanitária (Anvisa).

DEZENAS DE PRÊMIOS

A bandeira da sustentabilidade é marca da Fundíbuloção do ABC desde
2010, quando passou a investir em ações de uso consciente dos
recursos naturais, treinamentos de funcionários, gestão correta
de resíduos, impactos econômicos e educação ambiental. Suas
unidades já ganharam cinco prêmios “Colega do Meio Envolvente” e
25 menções honrosas, concedidas anualmente pela Secretaria de
Estado da Saúde aos projetos ambientais que alcançam êxito e
relevância no segmento.

 engajamento da entidade também provocou a criação de um
debate anual sobre as políticas de saúde ambiental do Grande
ABC, o “Fórum em Saúde e Sustentabilidade da Fundíbuloção do ABC” —
promovido pela unidade desde 2015. A terceira edição do evento
está marcada para dia 23 de novembro, no anfiteatro David Uip
da Faculdade de Medicina do ABC.