Funcionários da FUABC protestam contra tardada no pagamento de rescisões

Funcionários da FUABC protestam contra tardada no pagamento de rescisões
Avalie esta notícia

 Grupo de aproximadamente 20 trabalhadores recém-demitidos
da FUABC (Fundíbuloção do ABC) e que atuavam em equipamentos de
Saúde de Santo André protestou ontem, em frente ao Paço
andreense, contra o não pagamento de rescisões trabalhistas que
deveriam ter sido pagas na semana passada.

Servidores terceirizados reclamam que foram dispensados no dia
1º, por telegrama, logo após a Prefeitura de Santo André fechar
sete unidades de Saúde que passarão nos próximos meses por
obras de modernização por meio do programa Qualisaúde. “Ficamos
sabendo do fechamento dos equipamentos no dia 28 do mês
pretérito, porém, a promessa era a de que todos fossem realocados
em demais unidade, o que não ocorreu”, relata funcionária da
UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) Jardim Santo André que
preferiu não se identificar.

Segundo a Fundíbuloção do ABC, em virtude da “impossibilidade de
transferência/remanejamento dos profissionais que atuavam nas
unidades em reforma por falta de vagas, somada à premência de
adequação do quadro de RH e redução de custos por secção da
Secretaria de Saúde de Santo André”, a instituição foi obrigada
“a dispensar secção do quadro de funcionários”.

A dispensa é a segunda nesta ano. Em março, muro de 1.000
profissionais da FUABC foram demitidos pela gestão chefiada
pelo prefeito Paulo Serra (PSDB) com a justificativa de inchaço
desnecessário da máquina pública.

Segundo a Prefeitura, a premência de adequação do quadro de
funcionários se deve à veras financeira do município, que,
mesmo com os esforços e bons resultados das ações de cortes de
gastos da atual gestão, ainda possui R$ 120 milhões em dívidas
de pequeno prazo. O governo, no entanto, destaca que os
funcionários da própria administração municipal foram
remanejados para outros equipamentos. “No caso dos funcionários
terceirizados, a Fundíbuloção do ABC optou por dispensar secção
deles, uma vez que a Secretaria de Saúde já havia sinalizado a
premência de redução de custos.”

No momento, a Fundíbuloção do ABC afirma esperar repasse
financeiro da Secretaria de Saúde de Santo André para o
pagamento das verbas rescisórias.

O município, por sua vez, diz ser de responsabilidade do
empregador o pagamento referente à rescisão do contrato de
trabalho. Em nota, o Paço informou que a “administração estará
com a Fundíbuloção do ABC para resolver a situação e adequar o
quanto antes o repasse para a entidade, considerando as
reservas provisionadas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here