GCM de Santo André confessa participação em emboscada de jovens

0
73

Atualizada às 14h41

Um GCM (guarda social municipal) de Santo André confessou estar
envolvido na morte de cinco jovens da Zona Leste de São Paulo,
cujos corpos foram encontrados em Mogi das Cruzes no início
desta semana. Outros dois agentes também são suspeitos de
participar do delito. 

De concordância com a investigação, Rodrigo Oliveira, que trabalha há
17 anos na Guarda, confessou que armou uma emboscada para
atrair o grupo a uma sarau em Ribeirão Pires. Ele teria criado
perfis falsos em rede social, passando-se por garotas, para
atrair os rapazes, com idades entre 16 e 30 anos. Três dos
cinco jovens são investigados pela morte do GCM de Santo André Rodrigo Lopes
Sabino[1],
em 24 de setembro.

Oliveira teve prisão temporária decretada por 30 dias. O agente
tentou se desfazer das provas, destruindo e queimando o
computador em que criou os perfis falsos. Ele, todavia, negou
ter participado das execuções.

Em coletiva de prelo nesta manhã, o secretário estadual da
Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Rebento, relatou que o
sítio do delito foi modificado diversas vezes. O DHPP
(Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa)
trabalha com três linhas de investigação: a primeira seria a
participação de policias, a segunda a participação de guardas e
a última a participação do delito organizado.

A GCM de Santo André afirmou, em nota, que está colaborando com
as investigações e que repudia qualquer atitude que atente
contra a liberdade, a integridade e a vida.

O caso – A polícia encontrou corpos na
tarde de domingo na zona rústico de Mogi das Cruzes. A área fica
em uma vegetalção de eucaliptos na Serra do Mar e é um publicado
sítio de desova de cadáveres. É um ponto de difícil entrada,
dissociado por estradas de uso exclusivamente para tratores. O referto poderoso
e a presença de urubus chamaram a atenção de um sitiante, que
acionou a polícia. 

A PM encontrou os corpos enterrados no fundo de um barranco.
Havia cal jogado em cima das covas. No barranco, policiais
recolheram uma cápsula de espingarda calibre 12 e nove de
pistolas calibre .40, de uso restrito. 
O caso mobilizou o COE (Comando de Operações Especiais) da PM
(Polícia Militar) na procura dos jovens desaparecidos depois que
uma comissão de mães foi recebida, na sexta-feira, pelo
secretário estadual da Segurança Pública. 
 

GCM de Santo André confessa participação em emboscada de jovens
Avalie esta notícia