Governador João Doria Acusa Governo de “Uso Político” de dados do BNDES

Governador João Doria Acusa Governo de “Uso Político” de dados do BNDES: Governador que está na lista da Caixa Preta do BNDES, foi citado em lista de compradores de jatinho.

Governador João Doria Acusa Governo de “Uso Político” de dados do BNDES

A primeira leva da Caixa Preta do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi liberada. Como já era esperado, vários conhecidos políticos estão pipocando, visando uma forma de explicar como e ou porque utilizaram o dinheiro de forma indevida para bens próprios.

Governador João Doria Acusa Governo de “Uso Político” de dados do BNDES
Governador João Doria Acusa Governo de “Uso Político” de dados do BNDES

Veja mais:

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) disse, em coletiva nesta quarta-feira (21), que considera a divulgação da lista de financiamentos de jatos pelo BNDES como uso político da instituição.

Não cabe a um banco revelar a quem disponibiliza seus financiamentos. O uso político do BNDES é tão condenável hoje como foi no passado no governo do PT – disse.

  • Financiamento de jatinhos não ajudou a economia do país
  • João Doria admite ter usado BNDES para comprar jatinho
  • BNDES: Claudia Leitte surge em lista de compra de jatinhos

O governador afirmou que comprou uma aeronave em um “procedimento normal, regular”, que, segundo ele, também é comum em outros países.

Entendo que não foi uma boa medida, correta, do ponto de vista do BNDES, a utilização política e ainda classificando como caixa preta. Não há caixa preta alguma nisso, é um fato normal dentro de um banco de financiamento – afirmou.

Ele classificou ainda a medida como apelativa.

Destacar Luciano Huck​ e João Doria dentro desse contexto foi um processo mais apelativo que eu como cidadão, como brasileiro e como governador, condeno – afirmou.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou na noite de segunda-feira (19) lista com 134 contratos de financiamentos de jatos executivos da Embraer a juros subsidiados, no valor total de R$ 1,921 bilhão.

Segundo o banco, o custo com o subsídio às aeronaves chega a R$ 693 milhões, em valores corrigidos.

A possibilidade de divulgação da lista foi anunciada na quinta-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro, como uma das medidas para “abrir a caixa preta” do banco estatal, uma de suas promessas de campanha.

O governador João Doria assinou contrato de empréstimo de R$ 44 milhões por meio da Doria Administração de Bens.

Bndes Fundo

Doria, Huck, Michael Klein… Quem mais comprou jatinho com dinheiro barato do BNDES

Artistas, políticos, empresários e até doleiros: muita gente famosa aproveitou a linha de crédito aberta pelo BNDES para financiar a compra de jatos particulares fabricados pela Embraer entre 2009 e 2014. O banco de fomento divulgou, na última segunda-feira (19), a lista com os 134 contratos firmados no período, discriminando valores, taxa de juros cobrada e prazos de financiamento.

A divulgação da lista, justificada como mais um ato de transparência do BNDES – que promete abrir todas as suas “caixas pretas” na atual gestão –, ocorre na semana seguinte a declarações do presidente Jair Bolsonaro. Ao rebater críticas do apresentador Luciano Huck e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Bolsonaro disse que o Brasil iria saber, em breve, quem tirou proveito das políticas do PT para adquirir jatinhos subsidiados pelo BNDES.

Assista Diretamento no YouTube se assim preferir. Tudo sobre a Caixa Preta do BNDES.

Tanto Doria quando Huck constam da lista de compradores de jatos. O governador de São Paulo financiou uma aeronave de R$ 44 milhões em 2010, por meio da Doria Administração de Bens, a juros de 4,5% ao ano e prazo de 120 meses para pagamento. O apresentador da Rede Globo comprou, também em 2010, um jato por R$ 17,7 milhões, através de sua empresa, a Brisair, com juros de 3,3% ao ano e 119 meses para pagar.

A aeronave mais cara vendida no programa foi para o empresário Michael Klein (Casas Bahia), que pagou R$ 77,8 milhões por um jato executivo em nome da empresa Cb Air Taxi Aereo Ltda. Ele está pagando a aeronave em 120 meses e conseguiu taxa de 3,5% ao ano.

A família Moreira Salles (Itaú-Unibanco) também usufruiu da linha de financiamento do BNDES, pagando 4,5% ao ano de juros sobre empréstimo de R$ 75,5 milhões para adquirir uma aeronave em nome da Brasil Warrant Administradora de Bens.

Há, na lista, ainda, empresas envolvidas na Lava Jato, como a JBS, que financiou um jato de R$ 39,7 milhões, e a Estre Ambiental (R$ 14,2 milhões). O advogado Pedro H. Xavier, que defendeu o ex-diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros, e o doleiro Carlos Habib Chater, delator da lava Jato, também estão na lista.

Jatos Bloqueados pela Justiça

Pelo menos dois dos jatos financiados pelo BNDES estão bloqueados pela Justiça. A Operação Greenfield tornou indisponíveis os bens de Mario Celso Lopes e de suas empresas, entre elas a MCL Empreendimentos e Negócios, que têm aeronaves financiadas junto ao BNDES nos valores de R$ 15 milhões e R$ 9 milhões.

Empresários críticos aos governos petistas e apoiadores de Bolsonaro também tiraram proveito do crédito para a compra de aviões. Flávio Rocha, da Riachuelo – um dos líderes do movimento Brasil 200, que apoiou a eleição de Bolsonaro –, conseguiu financiamento de R$ 55 milhões a juros de 3% ao ano.

Fiat Automóveis, Lojas Americanas, John Deere e MRV Engenharia, além das empresas produtoras de shows dos artistas Victor e Léo e Cláudia Leitte, também estão entre os usuários da linha de crédito do BNDES.

Em nota divulgada em seu site, o BNDES explicou que a linha de crédito para a compra de jatinhos da Embraer foi criada em 2009, como parte do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Nessa linha eram cobrados juros inferiores à taxa básica de juros, a Selic, variando de 2,5% ao ano a 8,7% ao ano. O objetivo era estimular as vendas da Embraer, tornando-a mais competitiva na concorrência com empresas estrangeiras.

“O custo estimado para o Tesouro Nacional com o subsídio dessas operações foi de R$ 693 milhões em valores corrigidos”, diz a nota do BNDES.

O banco informou ainda que as operações foram do tipo indiretas automáticas, uma modalidade de financiamento em que os recursos do banco são repassados aos clientes finais por meio de bancos intermediários, que, por sua vez, são os responsáveis pela análise de risco e contratação da operação de crédito

O que o Povo diz pela Internet?

  • Cada vez mas aparece podridão nesses meios políticos, será que terá um final essa baderna. Esses aproveitadores, não sentem vergonha na cara, estão lesando o povo brasileiro.
  • Pode não ser ilegal mas é imoral.Tem uns que só sabem criticar e fazem isto.

O Lulu da paulista, Luciano Huck, garoto propaganda do Itaú e XP Investimentos. Preferiu a bondade do BNDES, para comprar jatinho. Assim como, o Engomadinho Doria da LIDE, o da “gestão”. Milionário de uma publicação e produtor de eventos próprios. Milagres do Brasil .

Sem enrolação : Lula, Dilma, Mantega, Coutinho, Palocci, ZéDirceu ,todos corruptos, criminosos, ajudaram outros corruptos com meu imposto a custo baixo, é crime de lesa-pátria. Tem que tomar de volta todos estes luxos dos milionários corruptos e safados

Os governos petistas foram irresponsáveis com o dinheiro público. Além da corrupção, como diria o vigarista Lula, nunca antes vista na história desse país, inventaram esse programa para “emprestar” dinheiro público para que artistas,apresentadores de televisão e empresários comprassem jatinhos. É muito cara de pau. Livre de nós, Lula Livre.

Por mim podem comprar jatinho ou charrete pois não consigo acreditar nem em um suspiro do que pretendem falar ou prometer a nós miseráveis e sempre enganados eleitores.

Gostaria de saber o nome das pessoas físicas (CPF) proprietárias ou majoritárias dessas empresas (CNPJ). Acho que descobriríamos muita gente envolvida em propinas e afins.

  • Tudo dentro da Lei, da Moral e dos “BONS COSTUMES”.

O articulista deveria ter se dedicado mais ao assunto, informando sobre a adoçao das tais taxas de equalizacao nesse mercado. Desse jeito, vira briga de torcida e joga a compra do equipamento em outros fornecedores com taxas civilizadas de seus bancos de fomento. Pena.

Parabéns senhores demagogos abastados. Usar dinheiro público pra subsidiar juros pra compra de jatinho de luxo enquanto faltam hospitais, escolas, creches etc.

Foi um repasse de dinheiro para os ricos em detrimento do povo. O Luciano Huck quer ser presidente, já começou bem.

600 milhões para beneficiar os super-ricos, a bolsa BNDES.

*Folhapress

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies