Grande ABC está pronto para receber 48ª Despensa São Paulo Júnior

0
95

Pela primeira vez na história da Despensa São Paulo de Futebol
Júnior, o Grande ABC terá três sedes. Os Estádios Anacleto
Campanella (São Caetano), Baetão (São Bernardo) e Inamar
(Diadema) receberão, a partir de amanhã, compromissos do
torneio sub-20 que começou ontem. E o trio já está pronto para
receber ao menos 18 partidas em somente seis dias – referentes à
primeira tempo. Informações não confirmadas pela Federação
Paulista dão conta que a região pode ter jogos até a semifinal,
dependendo do desempenho do quarteto Santo André, São Bernardo,
São Caetano e Água Santa, que estreia amanhã à tarde.

Conhecedores de suas casas, os times do Grande ABC esperam
utilizá-las porquê trunfo. Até mesmo o Ramalhinho, que integrará
o Grupo 30, em Diadema – juntamente de Netuninho, Criciúma-SC e
Porto-PE –, quer tirar proveito da proximidade de mansão para ter
grande torcida em prol nas arquibancadas do Estádio do Inamar.

Aliás, o sítio – que pela primeira vez sedia a competição – se
mostrou muito muito pronto para receber a Copinha. Em
dezembro, durante jogo beneficente do atacante Neílson, o
sistema de drenagem da praça esportiva diademense provou estar
pronta para suportar grande volume de chuva – situação geral
para esta época do ano. Mesmo com o gramado sintético, que não
é unanimidade entre jogadores, técnicos e dirigentes, o Água
Santa quer tirar proveito de seu estádio. “Vai ser muito bom
jogar com nossa torcida em nossa mansão”, disse o atacante
Gabriel Duarte.

O Anacleto Campanella, após quase 25 anos, vai ser mansão de São
Caetano, São Bento, Flamengo-RJ e Médio-PE. E o Azulinho
espera fundamentar a força dentro do estádio, onde jogou 12 jogos
no Paulista Sub-20, venceu sete e empatou cinco. “Jogar em mansão
nos impõe responsabilidade maior de classificação e de fazer
boa campanha. Mas também tem o lado que ficamos invictos em
mansão no Paulista, o que nos traz confiança grande para fazer
bom campeonato”, destacou o técnico Márcio Griggio.

O Baetão, por término, não agrada a todos no Tigrinho, mas também
deve ser usado porquê missiva na manga frente a Bahia, Trindade-GO
e Fast-AM. “A gente trabalha cá de manhã, tarde e noite. Os
meninos conhecem muito. Até dormimos cá. Não sou muito
obséquioável a esta grama (sintética) e às vezes temos jogado
melhor em gramados naturais. Mas é a nossa mansão”.
(colaborou Felipe Simões) 

Grande ABC está pronto para receber 48ª Despensa São Paulo Júnior
Avalie esta notícia