Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia completa um ano de funcionamento

Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia completa um ano de funcionamento :

Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia completa um ano de funcionamento

[ad_1]

Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia completa um ano de funcionamento com a marca de 7.406 pacientes recuperados

Crédito: Angelo Baima

O primeiro hospital de campanha instalado em Santo André completa nesta semana um ano de funcionamento. O Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia, reconhecido pela realização de grandes partidas de basquete e vôlei, abriga desde 15 de abril de 2020 uma estrutura montada com o objetivo de garantir assistência aos pacientes com Covid-19. 

“O Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia já salvou a vida de 7.406 andreenses em um ano de operação. São pessoas que superaram a doença e puderam voltar para as suas famílias. Esta estrutura nos garantiu capacidade para resistir ao pior momento da pandemia, sem que a nossa gente ficasse sem atendimento médico. Uma marca que nos coloca como referência mundial no cuidado com as pessoas. Nossas equipes também se diferenciam pela humanização e atenção, um trabalho incansável por salvar vidas”, destaca o prefeito Paulo Serra. 

Desde sua inauguração, em 15 de abril do ano passado, o hospital de campanha trabalha como retaguarda do serviço público de saúde. O local, que atualmente conta com 190 leitos, sendo 30 de UTI, foi preparado para acolher pacientes leves e moderados e, na condição de agravamento dos casos, garantir o tratamento em leitos de UTI completos. 

O espaço recebe munícipes encaminhados dos hospitais municipais ou das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). As três primeiras pacientes foram transferidas para o Dell’Antonia em 17 de abril de 2020, uma sexta-feira, dois dias após a inauguração. 

A aposentada Hilda dos Santos, de 70 anos, foi a segunda a ser atendida no local. “Eu pensei que ia morrer, até chamei meus filhos do interior para se despedirem de mim. Fui na UPA Perimetral e, quando fiz a tomografia, o médico viu que o meu pulmão estava comprometido. Fui transferida para o hospital de campanha, onde fiquei oito dias. Quando cheguei, chorei muito, mas não pensava em morte, só em Deus para me curar e eu poder cuidar dos meus sete filhos”, lembra. 

Para Hilda, a atuação da equipe da saúde foi fundamental para sua recuperação. “Os profissionais do hospital de campanha trataram muito bem de mim. Hoje, estou me cuidando, passei com pneumologista, com cardiologista e estou bem. Tenho muito a agradecer. Já tomei a primeira dose da vacina e agora estou esperando a segunda”, comemora. 

Danielle da Silva Máximo, de 28 anos, foi a quinta paciente a dar entrada no Dell’Antonia. “Eu apresentei alguns sintomas no dia 9 de abril de 2020. No dia 13, tive muita tosse e fui até a Policlínica do Parque Novo Oratório, de onde me encaminharam para a UPA Bangu e depois para o hospital de campanha com mais de 50% do pulmão comprometido. Foi muito difícil ficar longe da minha família, tenho um filho pequeno e tive que controlar muito a minha cabeça para me manter bem”, conta. 

A munícipe explica que tem problema de ansiedade e que o apoio psicológico dentro do hospital de campanha foi importante. “Eu agradeço toda equipe pois o tratamento foi muito diferente. No dia que eu soube que eu ia ter alta foi um momento maravilhoso, vi meu filho e fiquei com a minha família. Infelizmente, fiquei com sequelas, hoje faço uso de bombinha, tenho falta de ar. Não tenho mais resistência para fazer atividade física, mas estou bem apesar disso. Eu nasci de novo depois da Covid e passei a valorizar cada momento”, ressalta. 

Humanização – Desde a abertura do espaço, a Prefeitura de Santo André promove iniciativas para humanizar o atendimento aos munícipes internados no hospital de campanha do Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia. 

As ferramentas tecnológicas se tornaram grandes aliadas para aproximar pacientes e familiares. A equipe multiprofissional realiza diariamente as visitas humanizadas, que são feitas por videochamada, com duração de aproximadamente 20 minutos cada. 

“Durante a visita, o paciente consegue falar com a família e matar um pouco da saudade. Tem feito um bem tremendo e é uma hora muito esperada por eles”, explica o superintendente dos hospitais de campanha de Santo André, Victor Chiavegato. 

Além disso, houve adesão do uso de crachás com fotos que mostram os profissionais de saúde que atuam no local sorrindo. Isso porque os trabalhadores precisam utilizar uma paramentação especial composta, na maioria das vezes, por touca, óculos, máscara, viseira, avental, luva e propé, o que acaba dificultando a identificação pelo paciente. 

Morador da Vila Vitória, Anderson Bernardo dos Santos, de 28 anos, ficou 18 dias em atendimento no Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia. O munícipe recebeu alta na última segunda-feira (12) e elogiou os profissionais que o acompanharam durante a internação. 

“Gostei muito do tratamento dos médicos, o Dr. (José Roberto) Dente passa muita segurança, principalmente na forma de falar e explicar o nosso quadro clínico. Também gostei muito dos enfermeiros. Fui muito bem tratado, me passaram muito carinho e até anotei o nome de alguns porque quero fazer uma carta de agradecimento para eles”, pontua. 

Professor de educação física, Anderson relembra os sintomas quando chegou ao hospital de campanha. “Primeiro senti febre e cansaço. Entrei com 50% de comprometimento pulmonar, depois tive derrame bilateral nos pulmões e contraí três tipos de pneumonia. Os médicos e enfermeiros cuidaram de mim e hoje estou zerado”, comemora. 

Atendimento – A Prefeitura de Santo André instalou no Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia um completo serviço de apoio diagnóstico e terapêutico para acolher e tratar os pacientes, com laboratório de análises clínicas e exames de imagem (raio-x e tomografia). 

O município selecionou e contratou uma equipe multidisciplinar, composta por médicos clínicos, intensivistas, infectologistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos e fisioterapeutas, que contam ainda com o apoio assistencial de médicos especialistas da rede de saúde de Santo André, como cardiologistas, neurocirurgiões, proctologistas, anestesistas e vasculares. 

Leitos exclusivos para Covid-19 – Por causa das medidas adotadas pela Prefeitura desde o início da pandemia, Santo André é hoje uma das cidades mais bem preparadas para enfrentar a doença e preservar vidas. Sob gestão municipal, há 560 leitos destinados exclusivamente à Covid-19, sendo 182 de UTI. 

Em pleno funcionamento, além do Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia, Santo André conta com mais um hospital de campanha, na Universidade Federal do ABC (UFABC), com 180 leitos de enfermaria e 10 de UTI. 

O Estádio Municipal Bruno José Daniel também já funcionou como hospital de campanha, com 120 leitos, auxiliando o sistema municipal de saúde. Após a desativação do espaço, toda sua estrutura (leitos e equipamentos) foi absorvida pelo Centro Hospitalar Municipal Dr. Newton da Costa Brandão (CHM) e Hospital da Mulher, sem prejuízo no atendimento à população. 

Estrutura – Para a instalação dos hospitais de campanha em Santo André, optou-se pelo aproveitamento de infraestruturas existentes, com as devidas adequações, já que não eram espaços construídos com o objetivo de atendimento hospitalar. Com tais medidas, a cidade ampliou sua capacidade hospitalar com novos leitos de enfermaria e UTI para atendimento de pacientes com Covid-19. 

“Essas opções objetivavam garantir agilidade na viabilização dos hospitais de campanha, redução de custos, localizações estratégicas de mobilidade para o atendimento aos cidadãos, além de instalações que propiciassem maior conforto aos pacientes e profissionais de saúde, como disponibilidade de espaços para descanso, refeitório, cozinha industrial, estacionamento e instalações sanitárias com chuveiros para higienização pessoal e ainda espaços para apoio administrativo. Os espaços escolhidos atenderam esses requisitos satisfatoriamente”, enfatiza o secretário de Saúde, Márcio Chaves Pires.

Para estruturar os hospitais de campanha foram adquiridos equipamentos hospitalares e mobiliário que serão incorporados ao patrimônio da municipalidade e utilizados em unidades do sistema municipal de saúde após a pandemia.

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies