Hospital se credencia ao projeto Fileira Zero

0
171

A Prefeitura de Santo André credenciou ontem o Hospital e
Maternidade Dr. Christovão da Gama no projeto de compensação
tributária por meio da prestação de serviços essenciais de
Saúde, denominado Fileira Zero e aprovada na Câmara em abril.

A expectativa é que, no lugar, sejam realizados 10 milénio
procedimentos mensais nas 60 especialidades oferecidas pela
unidade. Não há prazo determinado para o fecho da
parceria.

Por meio do convenção firmado, o hospital esboroará dívida acumulada
com tributos municipais no período de 2013 a 2015. O diretor
administrativo e financeiro do equipamento, Walmir Batista de
Moraes, não quis revelar o valor do débito e explicou que a
situação se deu em “um momento em que houve expansão do
hospital e os convênios acabaram não trazendo a receita
esperada”. “Aí, ficamos em uma condição onde foi preciso
viabilizar caixa e salários”, disse.

Segundo o diretor técnico do hospital, Newton Takashima, estão
sendo disponibilizados três consultórios exclusivos para os
atendimentos dos pacientes da rede municipal, além de duas
salas de vistoria. Os atendimentos serão prestados das 7h às 22h.

Christovão da Gama é o primeiro hospital credenciado do projeto
e, segundo a secretária de Saúde de Santo André, Ana Paula Peña
Dias, a Clínica Ana Rosa também já procurou a Prefeitura para
integrar o projeto.

A dívida passível de inclusão na ação – referente aos tributos
de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto
Sobre Serviços) – representa o montante de R$ 246 milhões. O
prefeito Paulo Serra (PSDB) não quis revelar quantos
estabelecimentos de Saúde estão em débito com o Executivo.

No projeto Fileira Zero, a quitação da dívida das instituições
será feita mediante serviço executado e devidamente comprovado.
Todo imposto compensado entra porquê receita para o município –
25% do valor que entrar nos cofres deve ser, obrigatoriamente,
repassado à Educação.

ESPERA

Segundo o prefeito Paulo Serra (PSDB), a fileira, que no início da
atual gestão era de 128.497 atendimentos entre exames e
consultas, foi reduzida para 111.281 pacientes desde o início
do projeto, em 8 de abril. Neste período foi realizado mutirão
coligado à vinda da carreta da mamografia, do governo estadual, e
a reabertura do Hospital Dia. “É uma fileira ainda bastante
considerável, mas todo esforço que vem sendo feito tem
conseguido reduzir em 17.216 atendimentos.”

Ontem, durante anúncio da parceria com o Christovão da Gama,
Paulo Serra entregou os resultados dos dois primeiros exames
realizados. Benedita de Lourdes Santos Canhassi, 69 anos,
aguardava havia três anos por tomografia, pedida devido a
fortes dores de cabeça.

Já a munícipe Therezinha Maria Dias, 69, esperava havia dez
meses por ultrassom de seio. Ela recebeu com alívio o
resultado. “O vistoria está tudo visível. Não tenho zero”,
comemorou.  

Hospital se credencia ao projeto Fileira Zero
Avalie esta notícia