Inadimplência escolar: como aplicar um programa de cobrança eficaz
Avalie esta notícia

Em um momento econômico de incertezas e de perda do poder de compra, a população tende a ter mais dificuldade em quitar suas dívidas, desorganizando seu orçamento mensal e consequentemente tornando-se inadimplente, seja no pagamento da fatura de cartão de crédito, financiamentos ou a mensalidade do colégio. Com o objetivo de auxiliar as escolas na aplicação de um programa de cobrança eficaz, a Rabbit Partnership – empresa pioneira em consultoria educacional – destaca algumas estratégias importantes para ajudar nesse planejamento.

A forma mais eficiente de reduzir o atraso e inadimplência é demonstrar desde cedo que a instituição notou a pendência financeira e que irá, de forma educada e objetiva, cobrá-la. Além disso, o importante é não deixar o atraso (dentro do mês) transformar-se em inadimplência (de um a dois meses) e, posteriormente, evoluir para um estado mórbido (atraso de três meses ou mais), pois quanto maior o valor da dívida, mais difícil será sua quitação.

A premissa básica para alcançar uma boa gestão de cobrança é possuir uma planilha ou sistema que apresente dados de faturamento que sejam atualizados mensalmente. Para isso, o responsável deve verificar diariamente o pagamento dos títulos no vencimento ou em atraso através do extrato bancário e recebimentos na secretaria. Caso o cliente não tenha realizado o pagamento no vencimento, deverá analisar no sistema ou copiar o título/aluno para a planilha de cobrança.

Apesar de a tecnologia estar cada vez mais presente na rotina, o colégio não deve perder tempo e energia com envio de SMS, cartas, mensagens e e-mails. Após dois dias de atraso do pagamento do boleto, um responsável deverá efetuar a primeira ligação e continuar os contatos até no mínimo o terceiro mês de atraso. Logicamente, existem casos que devem ser analisados com mais cuidado e ponderações.

A partir do terceiro mês o nome deverá ser inscrito no cadastro de maus pagadores (SPC ou SERASA) e/ou a dívida para cobrança judicial (escritório de advocacia).

Ou seja, adotando simples métodos os empreendedores e suas equipes conseguirão melhorar a gestão de cobranças, reduzindo o percentual de inadimplência e garantindo a saúde financeira do seu negócio.