Lesões e má fase fazem dirigentes pedirem cabeça de preparador do São Paulo

0
123

As lesões e uma suposta queda de rendimento físico do São Paulo
durante as partidas geraram críticas de conselheiros e
dirigentes do clube e um pedido de mudança na comissão técnica
de Rogério Ceni. Segundo apurou a reportagem do UOL
Esporte, cardeais tricolores cobram que o presidente,
Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o diretor executivo
de futebol, Vinicius Pinotti, afastem o preparador físico José
Mário Campeiz da equipe profissional.

No total, 20 questões físicas não deixaram que jogadores
participassem de partidas do time neste início de temporada. Em
geral, na medicina esportiva não se atribui problemas causados
por traumas, como a fratura no nariz de Lucas Pratto no
clássico com o Palmeiras, à preparação física. Contudo, na
visão dos críticos, existe a possibilidade de nove outras
lesões, como o estiramento no músculo adutor da coxa esquerda
de Wellington Nem, na abertura da temporada, estarem ligadas à
preparação física. 

Nesta lista estão problemas como os edemas que afetaram Cueva e
Chavez e a lombalgia de Sidão. Os três casos podem ser causadas
por traumas, mas também podem ser reflexo de questões físicas
mais específicas. Como a maior parte dos treinamentos de Ceni é
feita com portões fechados, não é possível precisar a origem do
problema nestes três casos. 

Outro ponto questionado é a queda de produção da equipe no
segundo tempo dos jogos. Nas 27 partidas do ano, o São Paulo
sofreu 19 gols nos últimos 45 minutos e 13 na primeira etapa.

O assunto já foi abordado com o mandatário em algumas ocasiões.
Durante o período em que chefiou a delegação da seleção
brasileira, entre os dias 23 e 28 de março, cogitou-se até a
possibilidade de Leco conversar com Fábio Mahseredjian,
preparador físico da seleção, para sondar a possibilidade de
ele trabalhar no São Paulo.

Procurado, José Mário Campeiz não quis falar sobre o tema. A
reportagem apurou que o preparador sabe das críticas de
conselheiros e dirigentes e trabalha sob pressão. Também ciente
dos questionamentos, Rogério Ceni já se mostrou solidário ao
colega.

“Wesley esteve parado por lesão de joelho, Maicon teve uma
lesão de choque no tornozelo, com chute na sola do jogador do
PSTC. Então musculares são três ou quatro, que é razoavelmente
bom comparado a anos anteriores. Lembro de 30 lesões musculares
por temporada”, defendeu Ceni, em entrevista concedida no dia
20 de abril. 

Lista de jogadores com lesões musculares, edemas ou
lombalgia:

Sidão (lombalgia)
Fora entre partida contra o ABC, dia 7 de março, voltou a ser
inscrito contra o Cruzeiro, dia 14 de maio

Araruna (estiramento no adutor esquerdo)
fora a partir do jogo com o Cruzeiro, no dia 19 de abril 
ainda não voltou a jogar

Buffarini (estiramento no músculo adutor
esquerdo)
Sofreu na partida contra o Cruzeiro, no dia 13 de abril foi
liberado para jogar no dia 14 de maio, contra o Cruzeiro

Chávez
Dor muscular – Cortado da partida contra a Ponte Preta
Edema na região posterior da coxa esquerda – Fora a partir do
jogo com o Corinthians no dia 16 de abril. Voltou contra o
mesmo Corinthians, no dia 23 de abril

Renan Ribeiro (Contratura na região posterior da coxa
esquerda)
Na pré-temporada, foi liberado dia 20 de fevereiro

Wellington Nem (estiramento no músculo adutor da coxa
esquerda)
Sofreu contra o Audax, 5 de fevereiro; foi liberado para
enfrentar o PSTC, no dia 1º de março

Cueva (edema no músculo posterior da coxa
esquerda)
Fora da partida com o Palmeiras, voltou no jogo seguinte

Lucas Fernandes (estiramento no músculo posterior da
coxa esquerda)
No dia 5 de abril, contra o Defensa y Justicia; voltou a
treinar com bola no dia 17 de abril

Edimar (estiramento no tendão do músculo reto femoral
da coxa esquerda)
No dia 2 de abril, em treino, e ainda não jogou

Lesões e má fase fazem dirigentes pedirem cabeça de preparador do São Paulo
Avalie esta notícia