Lobo será enquadrado em comissão de ética

Vereador pelo SD de Santo André, Sargento Ivanildo Lobo será o primeiro a ser enquadrado na comissão de ética, já estabelecida por lei na Câmara, acusado de quebra de decoro parlamentar. O requerimento entrará sob a assinatura de Elian Santana, sua correligionária, que denunciou ontem, durante a sessão, a prática de “ofensa à sua honra”. Em discussão sobre projeto relacionado à reforma administrativa do Paço, Lobo falou em plenário, no momento em que Elian utilizava a tribuna, que iria chamar pessoa do relacionamento pessoal da colega “para resolver a situação”.
Elian ficou transtornada, de imediato, ainda no microfone, com a fala do vereador por envolver a sua “vida particular”. O pedido para instalar a comissão, segundo a parlamentar, será feito nesta semana e já tem apoio dos demais 20 parlamentares. “Entrarei com o requerimento. Nunca tinha visto isso (em dois mandatos na Casa). É lamentável que se chegue a certas ofensas, provocações deste tipo de um vereador que não se pauta por debate político, e sim age por questões pessoais”, alegou, referindo-se a Lobo, que é licenciado do posto de sargento da PM (Polícia Militar) por exercer mandato eletivo.

Logo na sequência, já sentados nas cadeiras dentro do plenário, Lobo e Elian iniciaram bate-boca. O bloco do deixa-disso, capitaneado pelo vereador Pedrinho Botaro (PSDB), apareceu nos arredores e pediu para que a parlamentar mudasse de lugar, o que, no entanto, não amenizou o clima. “Se ela, como ofendida, não tomar providências, eu mesmo apresentarei requerimento (para instaurar comissão de ética). (A postura) É discussão de baixo nível, pautada em ofensas pessoais, que cabe sanções disciplinares por não cumprir com regras de decoro”, disse Fábio Lopes (PPS).
Parlamentares demonstraram solidariedade a Elian e indignação com o tratamento. Toninho de Jesus (PMN) falou em “circo”. Não é a primeira vez que as declarações de Lobo provocam incômodo entre os pares, principalmente por tratarem-se de aspectos pessoais e em meio a polêmicas, inclusive com troca de farpas.
A comissão possui atribuição para averiguar a conduta. O comitê já existe na Casa, mas até agora não foi acionado formalmente. Pelos trâmites, a vítima pode pedir que se instaure bloco para apurar a veracidade da acusação e o cabimento de sanção ao ofensor, no caso de procedência. Para quem não cumprir as regras, são três tipos de punição: advertência escrita, suspensão e, no extremo, perda do mandato.
Ao término da sessão, Lobo deixou o plenário pelo lado contrário à saída comum dos vereadores. A equipe do Diário também procurou o parlamentar em seu gabinete, mas o local já estava fechado, e com as luzes apagadas, poucos minutos depois do desfecho dos trabalhos. 

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais