Medicina ABC fará campanha no ‘Dia Mundial sem Tabaco’

0
255

Equipe da Pneumologia estará à
disposição em 31 de maio (quarta-feira) para tirar dúvidas e
orientar a população sobre a importância de parar de fumar

Crédito: divulgação

Na próxima quarta-feira, 31 de maio, toda a equipe da
disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina do ABC
(FMABC) estará reunida para ações de conscientização sobre a
importância da cessação do tabagismo. A campanha faz segmento do
Dia Mundial sem Tabaco e relatará com mini palestras e exibições
de vídeos nas salas de espera do ambulatório de especialidades
do prédio Incorporado III – espaço do campus universitário onde há
grande circulação de pacientes, acompanhantes, alunos e
funcionários.

Professores, médicos pneumologistas e profissionais das áreas
de Fisioterapia, Psicologia, Educação Física e Terapia
Ocupacional estarão à disposição da população para tirar
dúvidas e reforçar os malefícios do hábito de fumar, assim porquê
os benefícios ao interromper o vício.

Segundo informações do Instituto Pátrio de Câncer (INCA), a
epidemia global do tabaco mata quase 6 milhões de pessoas por
ano, das quais mais de 600 milénio são não fumantes, vítimas do
fumo passivo. Sem alterações de cenário, estão previstas mais
de 8 milhões de mortes por ano no mundo a partir de 2030. Mais
de 80% dessas mortes evitáveis atingirão pessoas que vivem em
países de baixa e média renda.

“O indivíduo que fuma vive de 5 a 10 anos menos do que um não
fumante. O problema não se resume unicamente ao tempo de vida, mas
principalmente à perda de qualidade de vida. Os fumantes vivem
pior, mais doentes, com maiores gastos com médicos e remédios.
Estudos científicos revelam que os que param de fumar aos 30 ou
35 anos de idade têm uma expectativa de vida muito parecida com
os que não fumam, enquanto aqueles que param de fumar mais
tarde perdem anos de vida, se comparados com os não fumantes.
Portanto, quanto mais cedo for interrompido o hábito, melhor”,
aconselha o professor assistente de Pneumologia e coordenador
do Ambulatório de Assistência ao Tabagista da Faculdade de
Medicina do ABC, Dr. Adriano César Guazzelli, que alerta: “O
tabagismo é uma doença e o fumante é um doente, que necessita
de informação, tratamento, atenção, paciência e muito carinho.
Quem não para de fumar tem 50% de chances de morrer de câncer
de pulmão, de infarto do miocárdio, de acidente vascular
cerebral ou derrame cerebral e de doença pulmonar obstrutiva
crônica (DPOC), mais conhecida porquê enfisema e bronquite
crônica”.

As palestras e as exibições de vídeos na Faculdade de Medicina
do ABC ocorrerão das 8h30 às 11h. A instituição fica na Av.
Lauro Gomes, 2.000, Vila Sacadura Cabral (Santo André).

DIA MUNDIAL SEM TABACO

O tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para
as comemorações do Dia Mundial Sem Tabaco de 2017 foi “Tabaco:
uma ameaça ao desenvolvimento”. No Brasil, a campanha é
coordenada pelo Instituto Pátrio de Câncer. Segundo a OMS, a
epidemia de tabagismo continua sendo a maior ameaça à saúde
pública que o mundo já enfrentou. Evidências indicam que os
produtos de tabaco são altamente letais e matam 2 em cada 3 de
seus consumidores, além de também afetarem a saúde de pessoas
que não fumam, mas que são obrigadas a inalar a fumaça de
produtos de tabaco de terceiros – ou seja, os fumantes
passivos.

No Brasil, estudo sobre o impacto econômico do tabagismo no SUS
revelou que em 2011 foram gastos R$ 23 bilhões com o tratamento
de algumas das mais de 50 doenças tabaco-relacionadas. De outro
lado, a arrecadação com impostos sobre cigarros (resultado de
tabaco mais consumido) recolhidos naquele ano foi da ordem de
R$ 6 bilhões.

Medicina ABC fará campanha no ‘Dia Mundial sem Tabaco’
Avalie esta notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here