Moradores cobram retirada de sege umbrátil

0
130

 Enquanto as escolas de samba esperam pelo Carnaval deste
ano, a edição de 2016 ainda tem oferecido o que falar na Vila
Guiomar, em Santo André. Um sege alegórico desprezado tem
causado problemas para os moradores da Rua Carnaúba. No lugar
há mais de oito meses, o veículo está deteriorado e com buracos
com água empoçada, sendo possível foco de procriação do
mosquito da dengue.

O sege alegórico está estacionado em frente à estação de
coleta de resíduos Carnaúba, perto de interceptação. “Se você vem
de sege, isso (parábola) tira totalmente a sua visão. Falei
com o Departamento de Trânsito, e me disseram que não tem
condições de tirar daí”, contou o jubilado Guaraci Moreira,
60 anos. “Várias vezes quase teve batida frontal entre os
carros que passam, por conta da falta de visão”, disse o
negociante Eduardo Silva, 35.

A parábola ocupa metade da rua, o que acaba por bloquear
parcialmente a passagem de veículos e pedestres. “Já ligamos
para a prefeitura e não deram atenção. Nos disseram que (o
sege)</CF> não veio de Santo André”, declarou o operador
de caldeira de asfalto Adeíldo da Silva, 69.

O veículo pertence à escola Império do Samba de Vila Vivaldi,
de São Bernardo. De consonância com o presidente da Mocidade
Fantástica de Vila Alice, agremiação localizada nas imediações,
Juliano Rabello, o grupo costumava ceder espaço para armazenar
carros alegóricos de outras escolas de samba da região, entre
as quais a Império.

Segundo a presidente da União Cultural das Escolas de Samba de
São Bernardo, Márcia Araújo, os carros utilizados no Carnaval
de São Bernardo devem permanecer armazenados atrás do Ginásio
Poliesportivo, onde aconteceu o desfile em 2016. Procurada pelo
Diário, a Império de Vila Vivaldi não se manifestou.

Em nota, a Prefeitura de Santo André declarou que manteve
contato com as duas escolas envolvidas, pois, segundo a
administração, havia a informação de que o sege alegórico foi
doado para a agremiação da cidade vizinha. O DET informou que o
veículo estará disponível em leilão de sucata no pátio
municipal no dia 18 de janeiro, e que deve ser removido do
lugar entre a data do leilão e o dia 20.

Não é a primeira vez que o bairro sofre com o deserção de
veículos. Há muro de duas semanas, sege de passeio foi
desprezado em frente ao sege alegórico, também em estado de má
defendeção.

Moradores cobram retirada de sege umbrátil
Avalie esta notícia