Moradores do Parque Oratório clamam por solução

Moradores do Parque Oratório clamam por solução
Avalie esta notícia

Problema que costumava atormentar a rotina de toda a população
do Parque Oratório, em Santo André, apareceu novamente no
bairro após quatro meses de tranquilidade. As repetidas quedas
e voltas no fornecimento de robustez elétrica na filete das 18h
às 19h30 levam dores de cabeça e gastos aos munícipes.
Há uma semana, televisores, geladeiras e fogões começaram a
queimar. Devido à morosidade do processo de conserto, moradores
desistiram de tentar fazer orçamento com a AES Eletropaulo.
Segundo os munícipes, inclusive, a empresa afirmou ter pedido
estudo de rede há 30 dias, mas não obtiveram resposta.
Uma das afetadas é a aposentada Maria das Dores Santos Cohen,
57 anos, que perdeu televisão no início da semana e já não sabe
mais precisar o número de reclamações que fez. O problema mais
recente é a geladeira, que começou a fazer fragor e teve a
potência diminuída. “A luz pisca e volta várias vezes, nas
casas e na rua. Está um problema muito sério”, conta a moradora
da Rua Tanger.
A dona de mansão Lioka Yoneda, 70, não quis esperar a empresa
para arrumar os pertences. Em poucos dias foram mais de R$
2.000 gastos entre uma geladeira novidade e o conserto da
televisão. “Uma pessoa (na rua) falou que foi a máquina de
lavar, o resto deve ter queimado também, mas ninguém fala”,
relata.
A AES Eletropaulo informou, por nota, “que após análise dentro
do período de uma semana informado, identificou exclusivamente uma
interrupção de robustez na Rua Tanger e periferia, que durou
três horas”. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here