Mutuários da EMHAP podem renegociar dívidas e regularizar seus imóveis

Crédito: Alex Cavanha/PSA
Mutuários da EMHAP (Empresa Municipal de Habitação Popular de Santo André) que possuem dívidas com a empresa, terão a oportunidade de regularizar seu débitos por meio de um novo programa, lançado pela Prefeitura nesta terça-feira (10). O “EMHAP em Dia” dará descontos de até 99% em juros e multas, com o objetivo de facilitar a renegociação e reduzir a inadimplência. Também nesta terça, um outro programa foi lançado pela administração: o “EMHAP Legal”, que visa regularizar a situação de mutuários que comercializaram seus imóveis de forma irregular.Podem participar do “EMHAP em Dia” os mutuários que estavam em situação de inadimplência até o dia 31 de março de 2018 e que não tenham decisão judicial transitada em julgado determinando o pagamento imediato da dívida com a EMHAP. O desconto de 99% é para quem fizer acordo para pagar a dívida à vista. Para quem for pagar o débito parcelado de 2 a 6 meses, o desconto é de 80%; de 7 a 12 meses de 50%; de 13 a 24 meses de 20% e de 25 a 36 meses o desconto chega a 10%.“Sentimos a necessidade de criar um programa que fosse atrativo, para que essas pessoas renegociassem suas dívidas e que fosse eficaz. Como são empreendimentos muito antigos, tivemos que fazer um pacote de benefícios para que seja possível reverter essa inadimplência e funcionar corretamente daqui pra frente”, afirmou o secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Fernando Marangoni. Mais informações sobre o “EMHAP em Dia” podem ser obtidas pelos telefones 4427-9072 e 4438-4199.EMHAP Legal – A expectativa da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária é  regularizar a situação de aproximadamente 40% dos 3.330 mutuários que comercializaram seu imóvel irregularmente, sem a autorização da EMHAP ou fora do prazo contratual, e hoje são passíveis de reintegração de posse por parte da EMHAP. O programa tem o propósito de transferir o contrato para a família que adquiriu o imóvel em condição irregular, proporcionando segurança jurídica, economia processual e minimizando o impacto social das decisões judiciais da reintegração de posse.Para a regularização do imóvel a família não pode ter decisão judicial transitada em julgado, comprovar renda familiar menor que dez salários mínimos, apresentar certidão negativa de imóvel em seu nome e do cônjuge, não ter sido beneficiada anteriormente com moradia popular, comprovar moradia ou trabalho há pelo menos três anos em Santo André e ter todos os contratos de gaveta com reconhecimento de firma.“Essas duas ações dentro do EMHAP somam-se muito com o conceito que a gente implementou na gestão desde o início, o choque de gestão, fazendo mais com menos. Para chegar ao programa houve um trabalho muito extenso da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária e da empresa, para fazer um programa que as pessoas tenham condições de cumprir. Mais de duas mil famílias serão beneficiadas”, afirmou o prefeito Paulo Serra.Histórico da empresa – A EMHAP é uma sociedade anônima de economia mista vinculada à Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária. Foi constituída em 7 de agosto de 1990 com o objetivo de promover a construção de habitações populares e a melhoria das condições urbanísticas, de acordo com a política habitacional vigente e as diretrizes do Plano Diretor.A empresa empreendeu até 1993 a construção dos conjuntos Prestes Maia (fase I), Estados e Oratório. A partir de 1994, sua atuação praticamente restringiu-se à comercialização e administração de unidades habitacionais. Em 1996, a construção das unidades foi assumida pelo Departamento de Habitação (Dehab), cabendo à empresa sua comercialização e o apoio a associações e cooperativas para viabilização de seus empreendimentos, com recursos do Fundo Municipal de Habitação (FMH).

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais