No Camilópolis, obra paragem gera novos problemas locais

0
191

 Conjunto de construções paralisadas tem trazido dores de
cabeça a moradores das ruas Alemanha e Pinheiral, na Vila
Camilópolis, em Santo André. No terreno, que abrigaria três
prédios residenciais, há mato eminente e lixo em segmento de sua
extensão. As obras no sítio beneficiariam 138 famílias, mas
foram paralisadas em outubro de 2009, após denúncias contra a
Associação de Construção Comunitária Santa Luzia, entidade
fundada pelo ex-vereador Jurandir Gallo (PT), responsável pelo
projeto.

Enquanto esperam providências em relação ao imbróglio, quem
vive no entorno reclama da ausência de galanteio dos matos e do
depósito de lixo que o sítio se tornou. Morador que não quis se
identificar afirmou que há alguns anos um corpo foi encontrado
no meio do silvado.

“Está com bastante mato. Já ouvi muitos comentários de que tem
gente residindo, usando drogas e levante tipo de coisa”, disse a
aposentada Odete Aparecida Oliveira, 62 anos. Ela afirma temer
passar pelo sítio à noite e se diz de mãos atadas diante da
situação. “Quando preciso passar por ali, vou rapidinho para
não dar tenro. Se não você já viu, né?”

Em nota, a Prefeitura informou que o terreno é privado, mas
não disse se tomaria providências. A equipe do Diário
tentou, sem sucesso, contatar representantes da associação,
proprietária do terreno.

No Camilópolis, obra paragem gera novos problemas locais
Avalie esta notícia