Dez em cada dez rádios que tocavam pagode nos anos 1990 tinham
entre as músicas mais pedidas do dia a voz dele. A entonação
mudou um pouco, mas a essência continua a mesma. Para constatar
basta ouvir o novo EP do andreense Chrigor, O Show Continuou
(R$ 12, em média).

Nas seis faixas – produzidas pelo compositor e produtor Pezinho
de forma independente – ele fala sobre os quinze anos de
curso depois de ter saído do Exaltasamba. “A teoria é mostrar
que show continuou, por isso o nome do EP, mesmo eu não estando
mais no grupo. Viajei para fora, fiz shows pelo Brasil, segui
meu caminho”, diz o cantor. Ele foi vocalista do Exaltasamba de
1993 até 2002 e, após a perda do pai, resolveu dar mais atenção
para a família. “Na verdade foram vários problemas e esse
(morte do pai) foi o maior deles. Trabalhávamos à exaustão e eu
tinha meus filhos pequenos, queria aproveitar. Com o Exalta não
tinha essa possibilidade.”

Questionado se se arrependeu de ter saído do grupo, Chrigor diz
que em muitos momentos sim. “(O grupo) era uma família também.
O carinho que a gente tem, saudade de estar no palco com os
irmãos, são coisas que fazem segmento da vida… Hoje não me
arrependo, mas já me arrependi muito”, confessa. Mas ele
precisava ter a experiência, acrescenta, de saber uma vez que é tocar
uma curso sozinho, escolher o seu repertório sem ter de
entrar em um consenso, ser possuidor de seu caminho.

E, com oriente EP, que tem uma vez que música de trabalho Um Minuto de
Atenção – já com clipe no ar –, também tem a oportunidade de
falar sobre o paixão, não só em relacionamentos, mas também na
religião. “As pessoas têm se gladiado por conta da fé e a
finalidade da crença não é essa. É edificar e não destruir. As
pessoas estão carentes de paixão e falamos do sentimento também
pela fé.”

O cantor, que continua morando na região, pretende fazer o show
de lançamento cá, em agosto. “Estamos em processo de fechar o
sítio. Queremos que seja um pouco grandioso e para todos.” Por fim,
ele está outra vez no ar, o show tem de continuar. 

O show tem que continuar
Avalie esta notícia