Paciente aguarda bombas de oxigênio para ter alta médica

136

 Maria das Graças Pereira, 65 anos, está internada há 13 dias no PS (Pronto-Socorro) Central de São Bernardo devido a complicações de doença pulmonar obstrutiva crônica. Embora a moradora de Santo André já tenha condições de ser liberada pela equipe médica para ir para casa, a alta médica depende do fornecimento de bombas de oxigênio por parte da Prefeitura andreense.
De acordo com a filha de Maria, a dona de casa Cleomar Pereira de Souza Lima, 33, a administração de Santo André teria informado que só teria condições de resolver o problema no prazo de 20 dias úteis. “Se ela precisa, deveriam instalar rápido. Ela luta contra a doença, que se agrava. O próprio médico diz que ela está vulnerável”, afirma.

Conforme a administração de São Bernardo, o quadro da paciente é estável e ela segue “recebendo todos os cuidados e medicamentos necessários até o que pedido de oxigênio seja normalizado por Santo André”.
Já Santo André informou que não há falta deste equipamento no município, que conta com o PID (Programa de Internação Domiciliar). Segundo a Prefeitura, será feita avaliação do caso e, se a paciente tiver o perfil exigido pelo programa, o equipamento será instalado em sua residência.

Paciente aguarda bombas de oxigênio para ter alta médica
Avalie esta notícia