‘Para manter foco na PEC do Teto, eleição no Senado só em janeiro’, diz Renan

0
63

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não quer saber
de varanda para a eleição de presidente da Lar antes da
apreciação da PEC do Teto dos Gastos. O peemedebista deixou o
recado para os demais senadores e informou que discussões sobre o
ponto só devem ser feitas no próximo ano. Renan não poderá ser
reconduzido à presidência do Senado.

“Para não dificultar a tramitação da PEC do Teto do Gasto,
eleição para presidência do Senado só será discutida em
janeiro. Não devemos fazer zero, absolutamente zero, que possa
embaçar ou dificultar o calendário de votação dessa proposta”,
afirmou Renan. O relatório será votado na Comissão de
Constituição e Justiça (CCJ) na próxima quarta-feira, 9, e a
votação final em plenário está agendada para 13 e 14 de
dezembro.

As eleições, de indumento, só devem intercorrer em fevereiro, quando
se inicia o novo ano legislativo. Mas o que Renan quer impedir
é que se instaure no Senado um clima de campanha. Até pouco
tempo, os senadores davam porquê certa a eleição de Eunício
Oliveira (PMDB-CE) para a presidência da Lar. Entretanto,
movimentações internas na bancada do PMDB tentam emplacar outro
nome para a vaga, possivelmente o de Romero Jucá (PMDB-RR),
mais desempenado com o governo de Temer.

Renan preferiu não entrar na disputa e desconversou sobre a
indicação do nome de Eunício. Ele garantiu que a vaga, pelo
tamanho da bancada, cabe ao PMDB, mas afirmou que a indicação
ainda será discutida internamente. “O PMDB conquistou nas urnas
o recta de indicar o presidente. A sua disposição é de usar
de critérios de proporcionalidade para inventar o resto da placa.
Em janeiro, o PMDB vai fazer isso, mas em uma reunião
democrática com a bancada”, afirmou.

Tarifa de votações

O presidente do Senado anunciou para esta terça-feira a votação
da MP 737, que libera policiais e bombeiros militares da
suplente para atuarem na Força Vernáculo.

Ele também disse que acertou com o senador Aécio Neves
(PSDB-MG) que a PEC 36/2016, que trata da reforma política,
será a taxa única da sessão de 9 de novembro.

Galanteio de gastos

Renan também anunciou que fará cortes de gastos na gestão do
Senado. Ele ficou de apresentar números claros na semana que
vem. “Na próxima semana, vamos concordar novas medidas de golpe
de despesa do Senado Federalista. Vamos continuar cortando cargos
em comissão, funções gratificadas, reduzir contratos
terceirizados e mostrar que é possível fazer muito mais com
menos”, disse.

‘Para manter foco na PEC do Teto, eleição no Senado só em janeiro’, diz Renan
Avalie esta notícia