Perimetral: uma tentativa de experiência

0
124

O planejamento e a execução do Multíplice Perimetral – a partir
da década de 1960 – foram a primeira grande obra municipal do
sistema viário em Santo André.

Até então a cidade dependia, exclusivamente, da iniciativa
privada quando da exórdio dos loteamentos urbanos.

A interferência municipal, desde o tempo da Freguesia de São
Bernardo, se dava pontualmente a partir de um eixo histórico: a
estrada de ferro e a estação ferroviária, da década de 1860.

De 1860 a 1960, um século de improvisações no setor viário de
Santo André.

SISTEMA FERROVIÁRIO
Quando a Estrada de Ferro São Paulo Railway foi idealizada, o
objetivo mediano era facilitar o escoamento do café produzido
no Interno do Estado.

Os idealizadores não levaram em consideração a população cá
assentada. Se o fizessem, o traçado ferroviário serviria à Vila
de São Bernardo, cortada pela Estrada do Vergueiro e onde se
localizava o maior número de habitantes.

Não. Era preciso aproveitar a melhor geografia entre São Paulo,
Capital, e o Porto de Santos. E o mais indicado pelos técnicos
foi o Vale do Tamanduateí em direção ao Cimalha da Serra, cortando
o Vale do Rio Grande, horizonte principal preceptor da Represa
Billings.

CHEGAM OS PUJOL
Com a passagem da estrada de ferro, descobre-se que a expansão
paulistana dos seus bairros fabris e operários seria a traço a
partir de São Caetano – Brás, Mooca, Ipiranga, Vila Carioca…
São Caetano, Utinga, Santo André…

Empreendedores de várias naturezas descobrem o veio e obras
particulares são realizadas, com um destaque: os bairros da
Companhia Imobiliária São Bernardo, ensejo pelos irmãos Pujol.
Foi logo que se abriram, na década de 1920:

No Região de Santo André: bairros Jardim, Campestre, Utinga,
Santa Maria (secção) e Operário.
No Região de São Caetano: bairros Santa Maria (secção) e
Saúde.
Na sede do Município, São Bernardo: Novidade Petrópolis.

Naqueles mesmos anos 1920 são rasgadas duas grandes avenidas:
Industrial e Dom Pedro II – esta uma sequência das Avenidas
Goiás, em São Caetano, e Presidente Wilson, da Capital.
Portanto, empreendimento privado.

A Rua Catequese, que já existia, vai tombar em desuso, para
depois se restaurar e manter suas características em curva
apontando para a Rua Boa Vista, em São Caetano.

PERIMETRAL
A execução do Multíplice viário Perimetral teve a acompanhá-la o
Diário, desde os tempos do News Seller, semanário nascido em
1958.

Pois foi em 1959 que Santo André ganha os primeiros estudos
urbanísticos mais aprofundados. À frente, o urbanista Anhaia
Melo. O registo permanente da Prefeitura guarda aquela
documentação, que muito poderia ter sido mais utilizada pela
administração pública.

Passo a passo, o Diário noticia, interpreta e opina em torno
das obras da Perimetral. E documenta passo a passo tudo o que
se realizou.

Milénio novecentos e setenta e dois foi um ano emblemático. Porquê se
depreende dos negativos fotográficos guardados e sistematizados
pelo Banco de Dados do Diário.

Algumas são imagens conhecidas, porque já publicadas. Mas
várias permanecem inéditas. Elas nos escoltarão ao longo de
2017, 45 anos depois. Fotos que focalizam várias obras, do
multíplice Perimetral ao meio cívico, leste implantado a partir
do meio expandido que tem na Praça 4º Centenário o seu ponto
mediano.

O Meio vetusto, do eixo da Rua Coronel Oliveira Lima, se une
ao Meio novo pela passarela de pedestres Luso-Brasileira que
hoje leva o nome do avô do atual prefeito, Américo Pinto Serra.

ILUSTRAÇÃO
Janeiro de 1972. A Prefeitura de Santo André iniciava novo
trecho da Perimetral, o Trecho D, da Rua Antonio Bastos até a
Rua Dom Duarte Leopoldo e Silva. Os Trechos A, B e C abrangiam
o espaço entre a mesma Antonio Bastos até a Rua Francisco
Amaro.

Referências da imagem: as inscrições do Diretório Acadêmico 8
de Abril, a ingresso dos veículos pela Rua Álvares de Azevedo, a
Panificação Medial e o nome da empreiteira que realizava as obras,
Engeral.

Diário há 30 anos
Domingo, 18 de janeiro de 1987 – ano 29, edição 6344
Manchete – Funaro (Dilson, ministro da Rancho) prevê inflação
de até 70%. Mas técnicos do próprio governo admitem que o
índice poderá voltar a superar os 200% em 87.
Grande ABC – Com o termo do BNH (Banco Vernáculo de Habitação),
municípios preveem mudanças no Projeto Trato (Comunidades
Urbanas de Recuperação Acelerada).

Em 18 de janeiro de
1877 – Inaugurado o tráfego provisório da estrada de ferro
entre São Paulo e Rio de Janeiro, no trecho Taubaté a
Pindamonhangaba.
1917 – A guerra. Do noticiário do Estadão: a situação na
Grécia. O governo aceita todos os pedidos dos aliados. Chegada
de uma comissão militar a Atenas.
1962 – Inaugurada agência da Caixa Econômica Federalista em São
Bernardo.
1977 – Reconhecido por decurso de prazo o Projecto de Desenvolvimento
Integrado do Município de São Bernardo, mais sabido por
PDIM.

Hoje
Dia Internacional do Riso.

Municipios brasileiros
Celebram seus aniversários em 18 de janeiro:
No Maranhão, Riqueza.
No Rio Grande do Sul, Herval.
No Rio de Janeiro, São Francisco de Itabapoana.

Santos do dia
Prisca ou Priscila. Faleceu em Roma, no século 1. A tradição
diz que ela teria sido martirizada nas primeiras execuções dos
cristãos e teria sido enterrada nas catacumbas. Santa Prisca
tem uma igreja no Monte Aventino.
Manadeira: blog Sanctorum.
Amâncio
Beatriz de Vicência
Bv. Regina Prottmann
Liberato
 

Perimetral: uma tentativa de experiência
Avalie esta notícia