Pescado custa até 69% menos do que bacalhau

0
215

Amanhã é celebrada a Sexta-Feira Santa e, para poupar, é
possível substituir o bacalhau por diversos tipos de pescados,
que saem até 69,47% mais baratos. Em pesquisa realizada pelo
Diário, o quilo do peixe mais em conta é o da cavalinha, que
custa, em média, R$ 16. Para se ter teoria, o quilo do bacalhau
do Porto é encontrado pelo valor médio de R$ 54,41 – com nascente
preço, é possível comprar 3,4 quilos da cavalinha.

Edson Tebuo, 35 anos, trabalha há cinco com a família na
peixaria, que ocupa box no Mercado Municipal do Rudge Ramos, em
São Bernardo, há 30 anos. “As pessoas sempre procuram opções
mais baratas nesta época. Um dos peixes que mais saem é a
sardinha.” A sardinha é encontrada, em média, por R$ 17 o
quilo. Ou seja, custa 67,56% menos do que o quilo do bacalhau
do Porto.

O feirante Manoel Norberto Lopes da Silva, sabido porquê Mané
Peixeiro, 66, que tem barraca montada na Vila Rica, em Santo
André, até amanhã, também afirma que o peixe mais procurado é a
sardinha, e que mesmo estando um pouco mais rosto do que no ano
pretérito, ainda vale a opção. Ele ressalta, porém, que o melhor
custo-benefício é a corvina, que custa em média R$ 19 – murado
de 63,74% mais barata do que o quilo do bacalhau do Porto.

Outras opções econômicas para o almoço de amanhã são a tilápia
e a pescada. Os quilos custam em torno de R$ 23 e R$ 26,
respectivamente.

Mané Peixeiro comenta que, por conta da crise, a venda de
pescados tem desenvolvido nos últimos anos. “Por esse mesmo motivo,
as vendas deste ano podem aumentar ainda mais”, completa.

Já o bacalhau fresco sofre com a possante oscilação de preço, pois
não ficou simples na pesquisa do Diário quais são as qualidades
disponíveis. O quilo foi encontrado a partir de R$ 22 e, o mais
dispendioso, sai por R$ 54, ambos vendidos em postas.

A facilitar de serviços gerais andreense Débora de Andrade
Pereira, 40, afirma que sua família não tem hábito de consumir
pescados ou bacalhau nesta época do ano. No entanto, ao passar
pela feira, decidiu comprar cavalinha para fazer amanhã. “O
bacalhau é muito difícil de fazer. Minha mãe tinha o hábito e
cozinhava todos os anos, mas porquê eu ainda vou trabalhar
depois, a cavalinha é mais prática.” Ela conta que o peixe será
feito ao molho e que, no término das contas, sua família não faz
questão do bacalhau.

Tebuo e Mané Peixeiro afirmam que o maior fluxo de vendas se
concentra entre hoje e amanhã.

ONDE COMPRAR – A Craisa (Companhia Regional de Provimento
Integrado de Santo André) está realizando, desde ontem, a
‘Campanha do Pescado’. São seis barracas – todas licenciadas.

A Prefeitura de Mauá também lançou campanha sob o mesmo nome,
que ocorre desde terça-feira. Ao todo, são seis barracas pela
cidade e, também, todas são credenciadas.

Ambas as ações ocorrerão até amanhã.

O Mercado Municipal do Rudge Ramos, por sua vez, furará em
horário peculiar amanhã: das 8h às 13h.

Pescado custa até 69% menos do que bacalhau
Avalie esta notícia
Compartilhar