População reclama de falta de medicamentos em unidades

0
209

Moradores de Santo André sofrem com falta de medicamentos nas
farmácias das USs (Unidades de Saúde) e UBSs (Unidades Básicas
de Saúde). A Prefeitura admite o problema e justifica que a
dívida deixada pela gestão anterior atrapalhou o fornecimento,
que deve começar a ser normalizado ainda neste mês.

Enquanto isso não acontece, a população tenta encontrar
caminhos para amenizar a situação. A técnica em contabilidade
Vivian Modelli, 31 anos, diz que o pai dela retira cinco
medicamentos no Núcleo de Especialidades, no Parque das Nações.
Mas nos últimos tempos tem escutado que não há previsão de
normalização. Por conta disso, ele precisou tirar um deles da
lista para comprá-lo na farmácia. “O problema mesmo é o
Pradaxa, que é para arritmia e custa tapume de R$ 200. É um
remédio para o coração e há quatro ou cinco meses não
encontramos mais (na rede)”, explicou.

Até medicamentos simples, uma vez que o antibiótico Amoxicilina, são
difíceis de serem encontrados. “Já fui à UBS da Palmares e lá
também não tinha. Meu fruto está precisando”, contou a dona de
vivenda Elisângela Adelino da Silva, 38, que também não encontrou
o remédio na US Vila Guiomar.

A Prefeitura de Santo André informou que a situação crítica do
provimento foi herdada da gestão anterior. “Dos 378 itens da
relação municipal de medicamentos essenciais, 238 estavam sem
contrato e sem curso de processo de contratação, ou seja,
um desabastecimento de 63%. Unicamente 140 itens estavam
contratados (37%), mas havia fornecedores com pagamentos
pendentes desde julho de 2015 e muitos itens não estavam sendo
fornecidos por conta da inadimplência”, informou o poder
público, em nota.

Conforme a administração, as empresas do ramo não estavam
participando das licitações devido a atrasos e pendências de
pagamentos. “Na primeira semana de abril foi realizado o
pagamento de tapume de R$ 7 milhões a fornecedores. Assim, os
itens contratados que não estavam sendo entregues começaram a
ser fornecidos e as empresas voltaram a participar das
licitações de medicamentos.”

A Secretaria de Saúde afirmou que medicamentos uma vez que Alopurinol,
Amoxicilina, Azitromicina, Captopril, Cetoconazol,
Ciprofloxacino, Ibuprofeno, Metformina, Losartana e Omeprazol
foram licitados na segunda quinzena de abril, e os
abastecimentos serão regularizados neste mês. “Há 14 licitações
de medicamentos agendadas até o início de junho.” 

População reclama de falta de medicamentos em unidades
Avalie esta notícia