Prelado critica situação da Instrução do País e serpente prefeitos eleitos

0
84

A menos de duas semanas para que prefeitos eleitos na região
assumam seus cargos, o sacerdote da Diocese de Santo André,
responsável pelo Grande ABC, dom Pedro Carlos Cipollini, serpente
mais atenção dos políticos dos sete municípios diante da atual
“situação precária da Educação em todo o País”. O representante
da Igreja Católica na região foi homenageado com o título de
cidadão são-bernardense na noite de ontem.

Na visão de dom Pedro, “num momento em que parcela da população
vive descrente em função da corrupção deslavada (de políticos)
e com muitas promessas não cumpridas” somente um sistema de
Educação eficiente pode repor a esperança aos moradores da
região. “O Brasil não vai para a frente se não tivermos um
sistema escolar eficiente. É isso que tira um país do buraco”,
ponderou.

Para o sacerdote, embora o governo federalista destine verba
“astronômica” para a área, ainda não se tem líderes (políticos)
com “competência para gerir (o setor)”. “Trocam demais os
ministros da Educação e existe muita mudança de projetos. Isso
torna o povo desesperançoso. É uma vez que diz Jesus: ‘Tenho pena
desse povo que anda uma vez que ovelha sem pastor’. Acho que o maior
duelo de todos, tanto da Igreja quanto dos dirigentes, é o de
dar esperança para a população.”

Um dos exemplos citados pelo líder da Igreja foi o anúncio das
futuras mudanças propostas pelo governo federalista no Ensino
Médio, dentre elas a medida que divide o currículo acadêmico em
dois, uma segmento com disciplinas fixas obrigatórias e outra com
optativas. “Esse tipo de projeto é de pessoas que estão
desligadas da vida real do povo. Que não andam e não vão nos
barracos ver a situação precária dessas áreas. São projetos
sonhadores. Que imaginam um Brasil que não existe.”

HOMENAGEM

O sacerdote, que na próxima semana completa um ano e cinco meses à
frente da diocese, recebeu ontem seu terceiro título de cidadão
na região. As outras duas homenagens foram feitas por
vereadores em Mauá, em dezembro de 2015, e em Santo André em
março. “Leste título significa uma integração com a população da
cidade. Vejo isso uma vez que um modo de expressar que sou bem-vindo cá
e que, aos poucos, vou me integrando a esta cidade e a todas as
suas comunidades”, considera.

Durante a homenagem, o sacerdote ressaltou o quanto os fiéis da
região surpreenderam a ele com a união perante suas
comunidades. “Já percorri todo Grande ABC e me encanta ver uma vez que
toda igreja tem um papel importante dentro de seu bairro.
Muitos ajudam os mais pobres mesmo eles não frequentando a
Igreja. Isso mostra o quanto é importante pensar no próximo.”

Ontem, durante a cerimônia, realizada na Câmara de São
Bernardo, outros três padres que atuam no município foram
homenageados por meio do ofício elaborado pelo vereador Julinho
Fuzari (PPS). Foram eles: padre Pedro Raimundo Dias, com o
título de cidadão benemérito, e os padres Cristiano Marmelo
Pinto e Gonise Portugal, com os títulos de cidadãos
eméritos. 

Prelado critica situação da Instrução do País e serpente prefeitos eleitos
Avalie esta notícia