Programação musical de abril no Sesc Santo André

cantora e compositora Maria Alcina
Crédito: divulgação
No mês de abril o Sesc Santo André traz uma programação musical com artistas consagrados, lançamentos de novos discos e resgate de clássicos marcantes. Em comemoração aos 465 anos da cidade, Zeca Baleiro agita o público com o Baile do Baleiro, no dia 7 abril. Além do cantor maranhense, o espaço recebe durante o mês a banda Plebe Rude, com o show Primórdios; a dupla Kleber Albuquerque e Rubi, cantando canções do novo trabalho, Contraveneno; e a cantora e intérprete símbolo da música brasileira, Maria Alcina, que lança o novo LP Espírito de Tudo.Baile do Baleiro, com Zeca Baleiro – dia 7/4, às 20hPara abrir a programação, o Espaço de Eventos recebe o cantor e compositor Zeca Baleiro. Com mais de 20 anos de carreira, Zeca apresenta no Sesc Santo André o Baile do Baleiro, um apanhado de composições de apelo popular interpretadas a partir do encontro de diferentes gêneros musicais. No palco, Zeca interpreta canções de nomes como Novos Baianos, Wilson Simonal, Tim Maia, Oswaldo Nunes, Belchior, Alceu Valença, Jorge Ben Jor, entre outros. Natural de São Luís do Maranhão (MA), Zeca iniciou sua carreira ainda adolescente durante os anos 1980, participando de festivais e compondo música para teatro infantil. Após vivenciar experiências e construir um precioso repertório, lançou em 1997 o seu primeiro disco, Por Onde Andará Stephen Fry?. Apresentando canções repletas de ritmos e referências musicais afinadas em canções com humor e ironia, o disco foi recebido com muito entusiasmo pelo público e imprensa. A partir daí, Zeca não parou mais: lançou dez discos de estúdio – editados em Portugal, Espanha, Argentina e França – cinco CDs ao vivo, nove DVDs e diversos projetos musicais. Já lançou álbuns com parcerias importantes, como o disco Ode Descontínua e Remota para Flauta e Oboé – de Ariana para Dionísio, em parceria com a poeta Hilda Hilst, e o disco Café no Bule, em parceria com Paulo Lepetit e Naná Vasconcelos.Primórdios, com Plebe Rude – dia 20/4, às 21h; e 21/4, às 20hA banda Plebe Rude apresenta o show Primórdios, com canções compostas pelo grupo de punk rock brasileiro durante o fim da ditadura militar. Composta atualmente por Philippe Seabra, Marcelo Capucci, André X e Clemente Nascimento, a Plebe Rude revive no Teatro do Sesc Santo André músicas inéditas compostas entre os anos de 1981 e 1982, além de clássicos do grupo que fizeram sucesso na época e repercutem nos dias atuais.Ícone do cenário punk no Brasil, o grupo de Brasília iniciou sua trajetória em 1981 ao registrar sua primeira música, Pressão Social. No ano seguinte, a banda fazia sua primeira apresentação fora do Distrito Federal, em Patos de Minas (MG), e acabou presa após o evento devido ao conteúdo de suas canções considerado “impróprio”. Ainda em 1982, a banda ganhou o prêmio de “Melhor Super 8 Experimental”, promovido pelo Centro Universitário de Brasília. Em 1986, a Plebe Rude lança seu primeiro disco, produzido por Herbert Viana. O LP O Concreto já Rachou, composto por sete músicas, alcançou o disco de ouro com cerca de 200 mil cópias vendidas em seu ano de lançamento, e foi considerado pela revista Rolling Stones como um dos 100 melhores álbuns da música brasileira.  A banda gravou mais seis álbuns em estúdio: Nunca Fomos tão Brasileiros (1987), Plebe Rude lll (1988), Mais Raiva do que Medo (1993), Enquanto a Trégua não Vem (2000), R ao Contrário (2006) e Nação Daltônica (2014). Em 2011, a Plebe Rude lançou o CD e DVD Rachando Concreto: Ao Vivo em Brasília, que além de sintetizar o repertório da banda, conta um resumo da carreira e trajetória do grupo.Contraveneno, com Kleber Albuquerque e Rubi – dia 27/4, às 21hNo dia 27/04, é a vez de Kleber Albuquerque e Rubi apresentarem no Teatro da unidade o disco Contraveneno.  Neste trabalho, a dupla traz um repertório de canções que traduz as influências em comum dos dois artistas, como as tradições da música caipira e músicas sertanejas ouvidas durante a infância. No palco, Kleber e Rubi interpretam canções de duetos clássicos, como Eta Nóis, da dupla Luhli e Lucina; Castelo de Amor, antigo sucesso gravado pelo grupo Trio Parada Dura; e Como La Cigarra, da poeta argentina María Elena Walsh. Além do repertório clássico, a dupla apresenta canções inéditas como Milonga da Noite Preta, Cantiga de Não Chegar, assim como Cerol e Contraveneno. Natural de Santo André, Kleber Albuquerque começou sua carreira com bandas de rock durante a adolescência. Influenciado por leituras de Fernando Pessoa, Jorge Luis Borges e Gabriel García Marques, Kleber afirmou seu lado poético e compositor com diferentes canções e participações em festivais de música.Kleber possui uma discografia diversificada, com seu primeiro disco lançado em 1997, intitulado 17.777.700. Posteriormente, lançou outros discos como Para Inveja dos Tristes (2000), O Centro está em Todas as Partes (2003), Desvio (2007) e 10 Coisas que Eu Podia Dizer no Lugar de Eu Te Amo (2013). Rubi, cantor brasiliense parceiro de Kleber em Contraveneno, é interprete e compositor com mais de 30 anos de carreira e passeia em referências importantes da música brasileira das décadas de 1970 e 1980, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Elza Soares; além dos poetas Paulo Klain, Mario Ribeiro e Celso Sim, muito presentes em sua trajetória.Espírito de Tudo, com Maria Alcina – dia 28/4, às 20hPara fechar a programação musical de abril, o Sesc Santo André recebe a cantora e compositora Maria Alcina, que lança seu novo LP, Espírito de Tudo. Indumentada com plumas, paetês, maquiagem, com uma voz rouca e exuberante, Maria Alcina traz toda sua identidade musical no lançamento de seu novo LP, que marca a carreira artística de uma das cantoras mais memoráveis do Brasil. Tropicalista e carnavalesca por natureza, Maria Alcina interpreta neste trabalho músicas das décadas de Caetano Veloso, com canções como Tropicália, A Voz do Morto, Rocks, A Cor Amarela, entre outras.Com 44 anos de carreira, Maria Alcina possui uma das vozes mais marcantes da música brasileira, além de uma presença de palco irreverente e única. Natural de Cataguases (MG), iniciou sua trajetória musical em 1969, quando participou a convite de Carlos Moura e Alfredo Condé da trilha sonora do filme O Anunciador, o Homem das Tormentas (1970). Dois anos depois, lançava no Rio de Janeiro seu primeiro disco, um compacto com as canções Azeitonas Verdes, de Marcus Vinícius, Mamãe Coragem, de Caetano Veloso, entre outras. Em 1972 é convidada a participar do VII Festival Internacional da Canção, e se consolidou no cenário nacional ao ganhar a disputa interpretando Fio Maravilha, de Jorge Ben Jor. Nos anos 1980, Maria Alcina conquista a música internacional com viagens frequentes aos Estados Unidos, onde apresenta ao público um repertório de músicas carnavalescas, participando mais tarde do tributo à “pequena notável” Carmem Miranda.Em 2002, estrelou o musical Maria Alcina, 30 anos que Alucinam. Dois anos mais tarde, lança o disco Agora, em parceria com o grupo Bojo, que dão aos clássicos da MPB cantados por Maria uma roupagem eletrônica. Grava em 2009 o disco Maria Alcina, Confete e Serpentina, com produção de Maurício Bussab. Em 2014, lança De Normal Bastam os Outros, disco que compila composições de Zeca Baleiro, Arnaldo Antunes, Pericles Cavalcanti, Karina Bahur, Adoniran Barbosa, João Bosco entre outros nomes.Quintas Musicais – quintas-feiras, às 20hDurante abril, o mês nacional do choro, o Quintas Musicais faz um recorte no panorama deste gênero musical com artistas que homenageiam grandes nomes do famoso chorinho. A programação começa dia 5/04 com Choro pro Santo, em “Homenagem a Jacob do Bandolim”, e continua dia 12/4 com André Parisi Sexteto, em “Homenagem a Abel Ferreira”; dia 19/4, com Fabio Porte em “Choro Caipira – Uma Homenagem a Ernesto Nazareth”; e termina dia 26/4, com Choro das 3 em “Homenagem a Pixinguinha”. Os shows são gratuitos e acontecem no Palco da Comedoria às quintas-feiras, às 20h.ServiçoDia 7/4, sábado, às 20h.Baile do Baleiro, com Zeca Baleiro.Ingressos em R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia-entrada) e R$ 12,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis a partir das 17h do dia 27/3 no Portal Sesc SP, e  a partir das 17h30 do dia 28/3 nas Bilheterias da Rede Sesc.No Espaço de Eventos.Dia 20/4, sexta-feira, às 21h; e dia 21/4, sábado, às 20h.Primórdios, com Plebe Rude.No Teatro.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis a partir das 12h do dia 10/4 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 11/4 nas Bilheterias da Rede Sesc.Dia 27/4, sexta-feira, às 21hContraveneno, com Kleber Albuquerque e Rubi.No TeatroIngressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis a partir das 12h do dia 17/4, no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 18/4 nas Bilheterias da Rede Sesc.Dia 28/4, sábado, às 20hEspírito de Tudo, Maria Alcina.No TeatroIngressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis a partir das 12h do dia 17/4 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 18/4 nas Bilheterias da Rede Sesc.

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais