Programação musical de junho no Sesc Santo André

Rashid
Crédito: Marcelo Costa
Em junho, o Sesc Santo André traz uma programação musical com shows e artistas em todos os finais de semana do mês. São músicos dos mais variados estilos, com apresentações que vão do rap, com Rashid e seu álbum Crise, ao blues e soul com o cantor norte-americano J.J. Jackson, que apresenta o show So Long em comemoração aos seus 30 anos de carreira no Brasil. A banda de rock alternativo Scalene traz à unidade seu disco mais recente, magnetite, terceiro álbum gravado em estúdio. O quarteto da banda carioca Autoramas comemora 20 anos de carreira em show com repertório do novo disco, Líbido, além de sucessos da carreira. A cantora Marina De La Riva faz show da turnê Por El Camino, que mescla suas referências brasileiras e caribenhas nos seus dez anos de carreira.O compositor Eduardo Gudin convida ao palco do Sesc Santo André a cantora Paula Santoro para o show Ao Pé da Letra, que apresenta recorte inédito de sua produção artística. Anelis Assumpção, cantora e compositora brasileira, apresenta show de lançamento de seu terceiro trabalho solo, Taurina. A banda pernambucana Del Rey promove o Encontro de Brotos, show com homenagens à Jovem Guarda e sucessos dos anos 1960. As meninas do Samba de Rainha cantam músicas autorais e prestam homenagens às rainhas do samba no show 15 Anos de Festa. Abaixo seguem mais informações sobre os artistas, dias, horários e venda de ingressos.Programação Musical Junho – Sesc Santo AndréClassificação indicativa: 12 anos.Crise, com Rashid – dia 01/6, às 21hNo TeatroA programação musical de junho começa com o show Crise, do rapper Rashid. Em seu sétimo disco, o cantor reúne singles lançados no projeto Em Construção, e adiciona faixas inéditas como Pés na Areia e Música de Guerra. O novo trabalho do artista apresenta rimas que fazem paralelo com as crises da vida cotidiana e crises pessoais de cada um, com narrativas e letras contestadoras que representam um manifesto de reflexões, como a faixa Estereótipo, que trata de questões sociais das periferias do Brasil. O mais recente trabalho é uma continuidade da sólida produção artística de Rashid e sua evolução notável em mais de 10 anos de rap.Michel Dias Costa, o Rashid, nasceu no pequeno município de Lavras, MinasGerais. Garoto periférico, começou no rap ainda adolescente, quando usava o apelido Moska para participar de batalhas de MCs. Começou a ganhar destaque no cenário do rap nacional após participar da Liga dos MCs em 2007, ano em que também realizou participação especial no documentário Freestyle – Um Estilo de Vida, e na faixa Porque eu rimo, no disco Non Ducor Duco do raaper Kamau. Em 2010 lança seu primeiro EP, Hora de Acordar, com nove faixas de sua autoria. A partir de então lançou mais seis discos, entre eles o álbum Crise, que será apresentado no palco do Sesc Santo André.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 22/5 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 23/5 nas Bilheterias da Rede Sesc.Magnetite, com Scalene – dia 2/6, às 20hNo Teatro.A banda Scalene apresenta no sábado, dia 2, o show com seu mais recente trabalho, o álbum magnetite. Mesclando influências de ritmos brasileiros com stoner rock e hardcore, a banda de Brasília apresenta um repertório com faixas inéditas compostas exclusivamente pelos quatro integrantes.  O show traz novas influências dos músicos que se aproximam de artistas nacionais enquanto transitam por referências do rock alternativo. Algumas letras do disco tratam de temas delicados, como a música Distopia, composição que fala dos falsos profetas e suas ideias distópicas.  O repertório de magnetite expõe a habilidade e talento da Scalene ao tocar riffs pesados e agressivos de guitarra com passagens limpas e melódicas que são a marca registrada da banda. Atualmente formada por Gustavo Bertoni (guitarra e vocais), Tomás Bertoini (guitarra), Lucas Furtado (baixo) e Philipe “Mkk” Nogueira (bateria), a Scalene foi criada em Brasília no ano de 2009, quando ainda contava com a ex-vocalista Alexia Fidalgo. Entre as influências iniciais da banda estão os grupos Queens of the Stone Age, Radiohead, entre outros. Apesentando músicas autorais, a banda produziu muitos dos primeiros shows que realizou na capital federal, lançando em 2010 seu primeiro disco independente que leva o mesmo nome do grupo. Em 2012, a banda lança o álbum Cromático, com 12 faixas, e começa a ganhar espaço no cenário nacional após participar de programas de música como Acesso MTV e Comando Mix. Nos cinco anos seguintes, a Scalene lançou mais três discos autorais, e participou em 2015 do festival Lollapalooza Brasil e South by Southwest, em Austin, Texas. No mesmo ano, a banda participou do programa Superstar, da Rede Globo, ficando em segundo lugar no reality show e recebendo elogios dos músicos do programa.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 22/5 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 23/5 nas Bilheterias da Rede Sesc.20 anos, com Autoramas – dia 8/6, às 21hNo Teatro.O grupo Autoramas comemora mais um aniversário da carreira com o show 20 anos, no dia 8, sexta-feira. A banda carioca apresenta o repertório de seu novo disco, Líbido, além de canções que marcaram a carreira. Com faixas de seu oitavo disco em estúdio e canções de outros trabalhos, os Autoramas apresentam uma sonoridade original e dedicada ao rock divertido e inclusivo, que traz referências que vão do punk rock ao surf music dos anos 1960 e new age dos anos 1980.Formada no Rio de Janeiro em 1998, a banda Autoramas é reconhecida na música brasileira como uma das bandas mais bem sucedidas do cenário independente. Formada por Gabriel Thomaz (guitarra e vocais), Érika Martins (guitarra e vocais), Fábio Lima (bateria) e Jairo Fajersztajn (baixo), os Autoramas são conhecidos por mesclar a energia do punk rock, com timbres marcantes e baixos destorcidos, às misturas do surf music, New Age e Jovem Guarda brasileira, tocando faixas que trabalham batidas e ritmos dançantes. Em 2000 a banda lança sai o primeiro disco, Stress, Depressão & Síndrome do Pânico, produzido por Carlo Bartolini e lançado pelo selo independente Astronauta Discos. O álbum foi bem recebido pela crítica e rendeu uma turnê por diversos estados brasileiros com mais de 80 shows, incluindo uma apresentação no Rock In Rio em 2001, ano em que lançaram seu segundo CD, Vida Real. Em 20 anos de carreira, a banda já lançou 7 álbuns, 2 DVDs, além de singles e coletâneas. Já realizaram turnês no Japão , Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Portugal, Espanha, entre outros países da Europa e América Latina. Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 29/5 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 30/5 nas Bilheterias da Rede Sesc.Por El Camino, com Marina De La Riva – dia 9/6, às 20hNo Teatro.A cantora Marina De La Riva apresenta no Sesc Santo André show da turnê Por El Camino, no sábado, 9/6, em comemoração a seus 10 anos de carreira. A apresentação comtempla toda sua trajetória, desde suas primeiras inspirações musicais às referências da música popular brasileira. O show atende ao formato de espetáculo, e apresenta a carreira musical de Marina em três atos diferentes. O primeiro aborda seus primeiros passos na música ao revisitar suas raízes cubanas e a viagem para o país caribenho para gravação de seu primeiro disco em 2007. No segundo ato, a cantora explora suas referências musicais do Brasil transitando pelo samba, bolero, choro, salsa, ritmos marcantes de seu segundo trabalho, Idílio, lançado em 2012. No terceiro, Marina revive seu show em comemoração ao centenário de Dorival Caymmi, trabalho que originou seu último álbum, Rainha do Mar.Filha de pai cubano e mãe brasileira, Marina De La Riva é reconhecida pela mistura de ritmos cubanos com elementos da música brasileira em suas canções. Apesar de ser criada em família musical, Marina despertou seu lado cantora apenas em 2004. Três anos mais tarde, viajou à Cuba para gravar seu primeiro disco, Marina De La Riva, que também teve canções gravadas no Brasil e contou com a participação de Davi Moraes e Chico Buarque. O álbum foi aclamado pelo público e pela crítica, e ganhou no mesmo ano o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte como Revelação Feminina na categoria Música Popular. Após seu primeiro disco, Marina De La Riva lançou mais dois trabalhos: o DVD Marina De La Riva ao vivo em São Paulo, gravado no Teatro Bradesco, em São Paulo, com participações do Maestro Fabian Garcia, Andreas Kisser e Paulo Flecha; e o álbum Idílio, produzido por Pupillo e Pepe Cisneros, e conta com a participação do trombonista Raul de Souza.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 29/5 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 30/5 nas Bilheterias da Rede Sesc.Ao Pé da Letra, com Eduardo Gudin e Paula Santoro – dia 16/6, às 20hNo Teatro.O cantor e compositor Eduardo Gudin convida Paula Santoro para cantar no show Ao Pé da Letra, com letras escritas pelo artista, um recorte pouco explorado na carreira de Gudin. O repertório traz letras escritas para suas próprias melodias ou canções interpretadas por grandes nomes como Ivan Lins, Carlos Lyra, Elton Medeiros, Francis Hime, entre outros. No palco, a dupla interpreta canções em diferentes ritmos musicais, como samba, bossa nova, choro, e outros.Eduardo Gudin é cantor, compositor e produtor musical com inúmeras composições gravadas por diferentes vozes da música brasileira, como Elizeth Cardoso, MPB-4, Gal Costa, Vânia Bastos, Clara Nunes e muitos outros. Começou a estudar violão com 13 anos e iniciou sua carreira ainda adolescente, quando foi convidado por Elis Regina para se apresentar no antigo programa da TV Record, Fino da Bossa, em 1966. A partir de então, suas composições estariam presentes em diversos festivais, como o Festival de Música Popular Brasileira e 4º Festival Universitário da TV Tupi, o qual venceu com a canção Lá se vão meus anéis, com Paulo Cesar Pinheiro e cantada nas vozes dos Originais do Samba. Na década de 80, Gudin gravou discos solo e atuou como produtor para artistas como Beth Carvalho. Foi com sua composição “Verde”, em parceria com J.C. Costa Neto, que a cantora Leila Pinheiro foi revelada ao grande público, no Festival dos Festivais de 1985. Ao longo de sua carreira, já gravou 17 discos e fez parceiras com Hermínio Belo de Carvalho, Paulo Vanzolini, Aldir Blanc, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Francis Hime, Sérgio Natureza, entre outros nomes da música brasileira, além dos já citados.Uma das grandes intérpretes da sua geração, Paula Santoro nasceu em Belo Horizonte (MG) e há anos está radicada no Rio de Janeiro. Com diversos trabalhos em palco, estúdios de gravação e televisão, ela ganhou maior projeção a partir de 2002, quando conquistou o terceiro lugar no V Prêmio Visa de Música. Além dos quatro álbuns solo já lançados, sua discografia agrega dezenas de colaborações nos discos de artistas como Guinga, Nivaldo Ornelas, Pacífico Mascarenhas e Eduardo Neves.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 5/6 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 6/6 nas Bilheterias da Rede Sesc.Taurina, com Anelis Assumpção – dia 22/6, às 21hNo Teatro.A cantora e compositora Anelis Assumpção apresenta o show de lançamento de seu terceiro trabalho solo, Taurina, com alusões sonoras a MPB, samba e reggae, entre outros gêneros. O nome do álbum remete ao signo astrológico e a simbologias, com canções que refletem o poder do feminino, a sexualidade, e dialogam com experiências cotidianas vividas por uma mulher. Anelis usa todas suas referências do rap, dub, reggae e afrobeat para provocar reflexões em um jogo de ritmos e nuances instrumentais, com letras instigantes e carregadas de significados.Anelis Assumpção nasceu na Penha, Zona Leste de São Paulo. Filha do cantor Itamar Assumpção, iniciou sua carreira ao 18 anos fazendo backing vocals na banda do pai. Antes de começar a se apresentar como solista em 2007, integrou o grupo DonaZica ao lado de Iara Rennó e Andréia Dias. Em 2011 gravou seu primeiro disco, Sou Suspeita, Estou Sujeita, não Sou Santa, lançado em CD e disco de vinil. Seu segundo trabalho em estúdio veio em 2014, com o álbum Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários, produzido pela cantora e pelos músicos Bruno Buarque, Cris Scabello, Mau e Zé Nigro. Seu mais recente disco, Taurina, compila as referências que acumulou ao longo de sua carreira e conta com diferentes convidados nas faixas, como Ava Rocha, Liniker Barros, Tulipa Ruiz, Thalma de Freitas e Céu.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 12/6 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 13/6 nas Bilheterias da Rede Sesc.Encontro de Brotos, com Del Rey – dia 23/6, às 20hNo Teatro.Em seu novo show, Encontro de Brotos, a banda pernambucana Del Rey presta homenagem à Jovem Guarda brasileira, revisitando as músicas que foram sucesso nos anos 1960. Em seu repertório, os músicos fazem reverências a composições de Roberto e Erasmo Carlos, dupla que influencia diretamente a sonoridade e músicas da banda Del Rey desde sua criação.Formada no ano de 2003 em Recife, o grupo surgiu quando uma amiga do músico China, vocalista da banda, o convidou para tocar em uma festa. China convidou então o grupo Mombojó para apresentação. Tinha início a banda Del Rey, criada e dedicada em homenagear a obra de Roberto e Erasmo Carlos nos palcos. Nesses 14 anos, a banda já dividiu o palco com nomes consagrados da música brasileira como Wanderléa, Fafá de Belém, Wanusa, Rosemary, Nando Reis, Pitty, Simoninha, Rogério Flausino, Mariana Aydar, além do próprio Erasmo Carlos e muitos outros.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 12/6 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 13/6 nas Bilheterias da Rede Sesc.15 Anos de Festa, com Samba De Rainha – dia 29/6, às 21hNo Teatro.As meninas do Samba de Rainha apresentam o show 15 Anos de Festa, com composições próprias e canções que homenageiam grandes sambistas da música brasileira, como Clara Nunes, Alcione, Beth Carvalho, Leci Brandão, Dona Ivone Lara e Clementina de Jesus.O grupo Samba de Rainha foi criado com o objetivo de valorizar a participação feminina no samba, enaltecendo musicalidade e carisma originais do grupo fundado por cinco mulheres em 2004. Atualmente é formado por Aidée Cristina, Érica Japa, Núbia Maciel e Sandra Gamon dedica seu repertório à composições autorais e às obras de compositoras e intérpretes como Clara Nunes, Alcione, Beth Carvalho, Leci Brandão e Dona Ivone Lara. Embora também toquem sambas escritos por homens, as figuras femininas são suas principais referências. As Rainhas já dividiram o palco com Preta Gil, Mart’nália, Leci Brandão, Marcelo D2, entre outros.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 19/6 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 20/6 nas Bilheterias da Rede Sesc.So Long, com J.J. Jackson – dia 30/6, às 20hNo Teatro.Para encerrar a programação musical de junho, o cantor norte-americano J.J. Jackson apresenta show que comemora seus 30 anos de carreira no Brasil. Em seu repertório, Mr. Jackson traz à tona todas suas referências do jazz e do blues, além de interpretar canções de artistas brasileiros que marcaram sua musicalidade durante seu longo período no Brasil.Nascido no Arkansas, nos Estados Unidos, na região conhecida como “Cinturão do Blues”, J.J. Jackson está erradicado em São Paulo desde 1981, quando se apaixonou pelo Brasil. Compositor, interprete, ator e comunicador, Mr. Jackson é reconhecido por sua versatilidade musical e presença irreverente e carismática no palco. Devido à sua origem e interpretações de grandes clássicos do blues, o cantor norte-americano ficou marcado como o J.J. Jackson do Brasil, título que reivindicou junto ao público brasileiro em seus shows por diferentes estados do país. Mr. Jackson já dividiu o palco com renomados artistas como BB King, Lightinin Hopkin, Jimi Hendrix, entre outros.Ingressos em R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com Credencial Plena). Disponíveis online a partir das 12h do dia 19/6 no Portal Sesc SP, e a partir das 17h30 do dia 20/6 nas Bilheterias da Rede Sesc.

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais