Projeto de Apadrinhamento Afetivo no município de Santo André
Avalie esta notícia

Após a identificação dos interessados ao apadrinhamento afetivo, a equipe do CRAMI/Projeto Fênix realizará uma palestra inicial para apresentação do projeto
Crédito: divulgação/ facebook Crami ABCD
O CRAMI – Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD é uma Organização Não Governamental fundada em 1988 e declarada de Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal. A Sede é em Santo André e possui Núcleos de Atendimento em São Bernardo do Campo e Diadema. Os três núcleos dedicam-se ao trabalho de prevenção à violência doméstica e ao atendimento psicossocial a crianças e adolescentes e suas famílias, para que as relações familiares se deem pautadas no diálogo, afeto e respeito.APRESENTAÇÃO:O Projeto “Apadrinhamento Afetivo” é uma ação do CRAMI através do Projeto Fênix, em parceria com a Kindernothilfe[1], com o apoio da Vara da Infância e Juventude, Secretaria Inclusão e Assistência Social, Defensoria Pública e das Casas de Acolhimento do município de Santo André. Visa proporcionar às crianças (a partir dos 10 anos de idade) e adolescentes em situação de acolhimento institucional com possibilidades remotas de adoção ou sem perspectiva de retorno imediato ao convívio familiar, a vivência social e afetiva por meio da convivência familiar e comunitária, possibilitando a construção de vínculos de referências positivas para além da instituição, ampliando assim a oportunidade destas receberem apoio e atenção individualizada como também a retaguarda afetiva mesmo após a saída do acolhimento institucional.A divulgação do Projeto de Apadrinhamento Afetivo será feita através de folders, cartazes, propagandas, entrevistas, sites, mídia e redes sociais. Ressaltará que o projeto visa o apadrinhamento e não adoção.No site do CRAMI haverá uma página direcionada ao Projeto de Apadrinhamento Afetivo, com as informações pertinentes ao projeto e, também, contará com uma área para o cadastro dos pretendentes ao apadrinhamento que posteriormente serão contatados para agendamento da 1º reunião de apresentação do Projeto.Os equipamentos que forem procurados por interessados, deverão orientá-los a entrar em contato através do E-mail: [email protected]; Telefone: 4992-1234 ou site www.crami.org.br.Após a identificação dos interessados ao apadrinhamento afetivo, a equipe do CRAMI/Projeto Fênix realizará uma palestra inicial para apresentação do projeto.Após a palestra os pretendentes que desejarem dar continuidade no processo participarão dos três encontros de preparação, devendo comparecer no primeiro encontro com a ficha de cadastro preenchida que estará disponível no site.Os encontros serão semanais, com os seguintes temas:1º Encontro: Acolhimento Institucional – Características e dinâmicas. Por que e Para que crianças e adolescentes são acolhidas – Encontro conduzido por profissional do CRAMI/Projeto Fênix com a participação da Equipe Técnica das Casas de Acolhimento;2º Encontro: Estatuto da Criança e Adolescente, Aspectos jurídicos, diferença entre Apadrinhamento, Adoção e Guarda – Encontro conduzido pela Defensoria Pública e/ou Ministério Público de Santo André;3º Encontro: Que referência quero ser para o meu/minha afilhado(a). Especificidades da Adolescência: Comunicação, vínculo e limites – Encontro conduzido por profissional do CRAMI/Projeto Fênix.Ao final do ciclo de encontros, os candidatos que concordarem com os termos passarão por entrevista individual com a equipe do CRAMI/Projeto Fênix e, se avaliados como aptos ao apadrinhamento afetivo, assinarão um Termo de Compromisso de Apadrinhamento, deverão entregar cópias dos documentos pessoais (RG, CPF e Certidão de Casamento, se casado), comprovante de endereço e antecedentes criminais.Os padrinhos e/ou madrinhas somente serão inseridos no processo de avaliação, orientação e liberação, através do CRAMI/Projeto Fênix e deferimento da Vara da Infância e Juventude de Santo André.Definidos padrinhos e/ou madrinhas e afilhados, a equipe técnica do Projeto Fênix emitirá um parecer com dados do padrinho e/ou madrinha e da criança/adolescente para a Vara da Infância e Juventude para conhecimento e decisão judicial que será enviada ao CRAMI/Projeto Fênix que comunicará a Casa de Acolhimento para o inicio do processo de aproximação.Ainda será realizada visita domiciliar em conjunto com a Equipe Técnica das Casas de Acolhimento quando chegar o momento da criança/adolescente visitar a residência de seu padrinho e/ou madrinha.As saídas com os padrinhos e/ou madrinhas somente ocorrerão com autorização judicial.Durante os seis primeiros meses haverá o acompanhamento mensal por parte da equipe Projeto Fênix, tanto com o padrinho e/ou madrinha, quanto com a criança/adolescente para o monitoramento. Após esse período realizaremos encontros semestrais com o padrinho e/ou madrinha, para que troquem experiências uns com os outros e expressem seus sentimentos e ideias em relação ao apadrinhamento afetivo. Haverá, quando necessário, suporte frente às dificuldades que possam vir a surgir.CRITÉRIOS DE INSERÇÃOPadrinho e/ou Madrinha-Idade mínima de 25 anos e ter diferença mínima de 14 anos para o apadrinhado;-Possibilidade de moradores de outros municípios, priorizando os moradores de Santo André;-Não estar no cadastro de adoção;-Preencher a ficha de cadastro;- Participar dos três encontros de preparação;-Passar por entrevista com a equipe técnica do Projeto;-Entregar a documentação solicitada;-Assinar o Termo de Acordo-Ter disponibilidade de se encontrar com o afilhado no mínimo uma vez por mês sem prejuízo de acordos pré-estabelecidos (acompanhamento escolar, telefonemas, troca de mensagens, etc.);-Não ser técnico, educador, ou outros profissionais que estejam realizando acompanhamento ao acolhido;-E, em situações em que crianças e adolescentes possuem pessoas em seu circulo comunitário ou amigos que tenham interesse em apadrinhar, os mesmo deverão passar pelos mesmos processos de cadastro e avaliação.A Doutora Soraia Lorenzi Buso , Juíza de Direito Titular da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Santo André instituiu o Apadrinhamento Afetivo no município através da portaria nº 01/2017 datada em 01 de agosto de 2017.