PT perde ‘cinturão vermelho’ e PSDB conquista 11 prefeituras da Grande SP

0
73

O segundo vez das eleições na Grande São Paulo consolidou o
término do chamado “cinturão vermelho” com a roteiro nas urnas do
PT em Mauá[1] e
Santo
André[2] neste
domingo (30) e a força do PSDB do governador Geraldo Alckmin na
Região Metropolitana de São Paulo. Os tucanos conseguram um
feito inédito de obter 11 prefeituras na Grande São Paulo. Além
disso, o PSB, partido do vice de Alckmin, Márcio França, venceu
em mais 5 cidades da região.

O partido tucano vai governar diretamente para 14,5 milhões de
pessoas na Região Metropolitana de São
Paulo[3]. Já o PT,
para 147,6 milénio habitantes na única cidade que venceu, Franco da
Rocha.

O PT, que tinha 9 prefeituras dos 39 municípios da região,
agora tem exclusivamente um prefeito. Além de São Paulo, onde o
prefeito Fernando Haddad perdeu as eleições para João Doria
(PSDB), o partido perdeu as prefeituras de Santo André, São
Bernardo do Campo e Mauá, na região do ABC, além de Guarulhos[4] e Osasco.

No totalidade, o PT perdeu três cidades para o PSDB (São Paulo,
Santo André e São Bernardo do
Campo[5]), duas para
o PSB (Guarulhos e Mauá), uma para o PV (Carapicuíba), uma para
o PTN (Osasco) e uma para o PRB (Embu das Artes).

No primeiro vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
disse que o “PT iria
surpreender[6]” na
eleição, mas não foi o que aconteceu. As investigações da
Operação Lava Jato contra integrantes do PT, o impeachment da
presidente Dilma Rousseff e a acusações contra Lula afetaram
diretamente as campanhas de candidatos do partido. Lula deixou
de concordar publicamente os candidatos e nem foi votar neste
segundo vez[7].

Quem tinha candidato do PT uma vez que adversário procurou reforçar
durante a campanha a ligação do rival com os problemas do
partido. No debate promovido pelo G1 com
os candidatos de
Mauá[8], por
exemplo Átila Jacomussi (PSB), eleito neste domingo, labareda seu
adversário de “Donisete Braga do PT”

PSDB cresce
Já o PSDB aumentou de 8 para 11 prefeituras. Além da capital,
venceu também em idoso redutos petistas, uma vez que São Bernardo do
Campo e Santo
André[9]. Das oito
cidades que tinha, o PSDB venceu em três delas: Rio Grande da
Serra, Santana de Parnaíba e Taboão da Serra.

Quando foi eleito em São Paulo, João Doria aproveitou para
proteger o nome do
governador Geraldo Alckmin[10] à
presidência da república em 2018. Após as eleições deste
domingo, a influência de Alckmin na Região Metropolitana
aumentou ainda mais. “A sociedade não quer nem o PT e nem
aliados do PT no governo”, afirmou Orlando Morando (PSDB),
eleito em São Bernardo do Campo.

“Acredito que, primeiro de tudo, os prefeitos do PSDB que estão
ganhando a eleição precisam provar sua capacidade e é originário
que tendo gestões municipais com êxito, isso acarreta um
fortalecimento do partido. Não nego que o Geraldo Alckmin sai
fortalecido por conta da ensejo interna do partido”, disse
Morando em entrevista à GloboNews.

Outro partido que cresceu foi o PSB, de Márcio França,
vice-governador de São Paulo. que passou de duas para cinco
prefeituras, entre elas Guarulhos e Mauá[11].

O prefeito reeleito de Diadema, Lauro Michels (PV), e o
prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN), também
agradeceram o escora recebido de Alckmin durante a campanha.

O PMDB, do presidente Michel Temer, reduziu o número de
prefeituras: de seis, em 2012, para uma, em 2016.

Veja a distribuição das prefeituras na Região Metropolitana de
São Paulo:

VEJA A DISTRIBUIÇÃO DAS PREFEITURAS DA REGIÃO
METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Partido

 

2012

 

Cidades

 

2016

 

Cidades

PSDB[12]

 

8

 

Biritiba-Mirim, Cajamar, Cotia, Ferraz de
Vasconcelos, Rio Grande da Serra, Santana de
Parnaíba, Suzano e Taboão da Serra

 

11

 

São Paulo, Barueri, Itaquaquecetuba, Mairiporã, Mogi
das Cruzes, Rio Grande da Serra, Santana de Parnaíba,
Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano e
Taboão da Serra

 

PT

9

São Paulo, Carapicuíba, Embu, Franco da Rocha,
Guarulhos, Mauá, Osasco[13],
Santo André, São Bernardo do Campo

1

Franco da Rocha

PMDB

6

Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Pirapora do Bom
Jesus, Ribeirão Pires, São Caetano do Sul e São
Lourenço da Serra

1

Arujá

PV

6

Diadema[14],
Francisco Morato, Itapevi, Jandira, Mairiporã e Santa
Isabel

3

Diadema, Carapicuíba e Biritiba-Mirim

PR

3

Arujá, Guararema e Salesópolis

6

Guararema, Juquitiba, Poá, Salesópolis, Suzano e
Vargem Grande Paulista

PSB[15]

2

Caieiras e Vargem Grande Paulista

5

Cajamar, Embu-Guaçu, Guarulhos, Mauá e Ribeirão Pires

PTN

1

Itaquaquecetuba

2

Itapecerica da Serra e Osasco

PSD

1

Mogi das Cruzes

2

Caieiras e Cotia

PDT

1

Poá

0

 

DEM

1

Barueri

0

 

PPS

1

Juquitiba

0

 

PRB

0

 

4

Santa Isabel, Francico Morato, Embu das Artes e
Ferraz de Vasconcelos

PTB

0

 

3

Itapevi, Pirapora do Bom Jesus e Jandira

SD

0

 

1

São Lourenço da Serra

Veja as derrotas do PT no ‘cinturão vermelho’

São
Paulo[16]-
O prefeito Fernando Haddad (PT) perdeu no primeiro vez para
João Doria

Santo
André[17] – O atual
prefeito, Carlos Grana (PT), perdeu no segundo vez para Paulo
Serra (PSDB);

Mauá[18] – O
prefeito Donisete Braga (PT) perdeu no segundo vez para Atila
Jacomussi (PSB);

Guarulhos [19]-
Sebastião Almeida (PT) venceu em 2012. Seu candidato, Eloi
Pietá, também petista, ficou em terceiro lugar no primeiro
vez; Guti (PSB) foi eleito prefeito derrotando Eli Correa
(DEM) no segundo vez;

Osasco[20]
– O candidato do PT, Valmir Pascidelli, ficou em 5º
lugar no primeiro vez. O atual prefeito, Jorge Lapas (que era
do PT e deixou o partido para concorrer pelo PDT), perdeu no
segundo vez para Rogério Lins (PTN);

São
Bernardo do Campo[21] – o
candidato Tarcicio Secoli (PT) ficou em 3º no primeiro vez.
Governada pelo petista Luiz Marítimo, teve no segundo vez a
vitória de Orlando Morando (PSDB) sobre Alex Manente (PPS);

Embu das
Artes[22] – O PT
perdeu a prefeitura para o PRB, de Ney Santos;

Carapicuíba[23] – O
PT perdeu a prefeitura para o PV com a eleição de Marcos Neves;

 

 

PT perde ‘cinturão vermelho’ e PSDB conquista 11 prefeituras da Grande SP
Avalie esta notícia