Quatro prefeitos têm governos aprovados no Grande ABC

0
200

Após quatro meses de gestão, quatro prefeitos tiveram o governo
revalidado pelos eleitores do Grande ABC. O instituto Paraná
Pesquisas realizou levantamento de satisfação com cinco das
sete administrações municipais e apontou que os moradores
avaliaram positivamente os mandatos de Paulo Serra (PSDB), de
Santo André; de Orlando Morando, em São Bernardo; de José
Auricchio Júnior (PSDB), em São Caetano; e de Atila Jacomussi
(PSB), em Mauá.

Das cidades analisadas, somente o prefeito de Diadema, Lauro
Michels (PV), teve o trabalho contraditado pela população. O
instituto não mensurou dados de Ribeirão Pires, governada por
Adler Kiko Teixeira (PSB), e de Rio Grande da Serra,
administrada por Gabriel Maranhão (PSDB) – reeleito em outubro.

Atila recebeu a melhor quota de aprovação, segundo o Paraná
Pesquisas: 60,8% de aceitação diante de 32,9% de rejeição. Na
sequência vêm Paulo Serra (61,2% de elogios), Morando (59,6%) e
Auricchio (51,6%). No caso de Lauro – o único prefeito reeleito
da região que teve os dados compilados –, a rejeição é de
51,3%, contra 43,8% de aprovação.

Os chefes de Executivo do Grande ABC assumiram mandatos em
tempos de crise econômica e descrédito da classe política. O
foco, nos primeiros 100 dias de gestão, foi equacionar as
contas públicas. Gastos foram expelidos – porquê termo de carros
oficiais e celulares corporativos –, houve redução de
secretarias, eliminação de funções comissionadas e revisão de
contratos.

O período de aceitação também se reflete nos Legislativos. Os
prefeitos nutrem boa relação com os Parlamentos e base
governista extensa.

Não à toa, exclusivamente Lauro tem sofrido com oposição ferrenha na
Câmara. Ele não detém maioria na Moradia e viu duas CPIs serem
instaladas, convocações de secretários a contragosto e projetos
de interesse do Paço travados no Parlamento.

As aprovações ainda vêm na esteira do processo eleitoral. Paulo
Serra (78,21% dos votos válidos), Morando (59,94%), Lauro
(57,67%) e Atila (64,47%) foram eleitos no segundo vez,
realizado no termo de outubro. Auricchio retornou ao Palácio da
Cerâmica após hiato de quatro anos ao receber 34,34% dos votos
válidos.

No questionário, além de indagar sobre a aprovação ou
desaprovação ao governo municipal, o instituto Paraná Pesquisas
pediu ao votante qualificar o governo de seu prefeito entre
ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo.

Nesse quesito, Atila se destacou, recebendo 45,5% de ótimo e
bom da população mauaense. Outros 24,6% classificaram o procuração
até agora porquê ruim ou péssimo.

Na sequência, dentro desse estrato, está Morando. Ao todo,
42,1% dos munícipes de São Bernardo veem a atuação do tucano
porquê ótima ou boa. Outros 25% acham que a gestão é ruim ou
péssima.

Paulo Serra registrou 40,4% de ótimo ou bom do andreense (26,6%
de ruim ou péssimo), Auricchio recebeu 36,4% de ótimo ou bom do
são-caetanense (33,3% de ruim ou péssimo) e Lauro alcançou 25%
de ótimo ou bom (38,7% de ruim ou péssimo, o maior índice
regional).

“Foi uma primeira pesquisa de avaliação de uma série que
pretendemos fazer na região”, adiantou Murilo Hidalgo Lopes de
Oliveira, diretor do instituto Paraná Pesquisas.

A empresa ouviu, no totalidade 3.186 eleitores em cinco cidades do
Grande ABC. Foram consultados 804 eleitores de Santo André, 887
em São Bernardo, 486 em São Caetano, 506 em Diadema e 503 em
Mauá, entre os dias 20 e 27 de abril. A margem de erro varia de
3,5% e 4,5%, dependendo do município. As pesquisas estão
registradas sob o número 3.122/17 no Juízo Regional de
Estatística.

Com exceção de Sto.André, mulheres demonstram mais
críticas às administrações em levantamento

As mulheres, moradoras em quatro das cinco cidades do Grande
ABC avaliadas pelo instituto Paraná Pesquisas, demonstram mais
críticas aos governos municipais.</CW><CW-25>

Com exceção das eleitoras de Santo André, o público feminino de
São Bernardo, São Caetano, Diadema e de Mauá é o que desponta
nos índices de desaprovação dos governos nesses municípios.

Entre os que desaprovam o governo do prefeito de São Bernardo,
Orlando Morando (PSDB), as mulheres são a maioria: 36,5%,
contra 34,8% de homens. No estrato dos que aprovam a gestão do
tucano é o inverso: 60,5% do público masculino, diante de 58,8% do
feminino. Quando são levadas em consideração a tira etária e a
escolaridade, Morando é revalidado, em sua maioria, por eleitores
entre 25 e 34 anos e que possuem Ensino Superior (62,3%).

Na avaliação dos que não gostam da forma porquê o patrão do Paço
de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB) conduz o Palácio
da Cerâmica, 46,9% desse grupo é formado por mulheres e 39,5%
por homens. A aprovação do governo do tucano é maior entre os
que têm entre 45 e 59 anos e possuem o Ensino Fundamental
completo – entre os que desaprovam, a maioria (46,9%) possuem
faculdade.

Em Diadema, o índice de rejeição do prefeito Lauro Michels (PV)
também é maior entre as mulheres: 54,4%, contra 47,8% de
homens. Prefeito mais jovem da região – tem 34 anos –, a
rejeição de Lauro é maior entre pessoas de 25 a 34 anos (54,4%)
e de 35 a 44 anos (56%).

Entre os que desaprovam o governo do prefeito de Mauá, Atila
Jacomussi (PSB), 33,8% são mulheres, diante de 31,9% de homens da
cidade.

Paulo Serra (PSDB), prefeito andreense, é reprovado, em sua
maioria, por homens (35,5%). Mulheres representam 33,6%.
 

Quatro prefeitos têm governos aprovados no Grande ABC
Avalie esta notícia