Relação entre Anemia Falciforme e Dor Crônica – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

A doença falciforme é a doença genética de maior prevalência no mundo. No Brasil, ela ocorre em um a cada 1200 nascimentos e representa um problema grave de saúde pública. A doença caracteriza-se pela presença e predomínio da hemoglobina S (HbS), uma hemoglobina mutante.A anemia falciforme é a manifestação mais frequente e grave da doença. Trata-se de uma doença hereditária caracterizada por uma alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, que torna seu formato semelhante ao de uma foice. Tais células têm sua membrana alterada e rompem-se com maior facilidade, provocando anemia.A condição incide predominantemente sobre pessoas negras. No Brasil, representa cerca de 8% da população negra, mas devido à miscigenação histórica do país, qualquer indivíduo, independente de etnia, sexo ou cor, pode portar a anemia.Relação entre Anemia Falciforme e Dor CrônicaA dor crônica é o sintoma mais prevalente da anemia falciforme, e é resultado da obstrução de pequenos vasos sanguíneos, provocada pelo afoiçamento dos glóbulos vermelhos.A dor crônica possui uma duração variável, de 3 a 6 meses ou mais, pode ser muito intensa e progressiva e provocar debilitação física e mental no paciente.As crises dolorosas surgem repentinamente e podem ocorrer várias vezes ao ano, prejudicando significativamente a qualidade de vida do indivíduo. Correspondem à principal causa de internação nos pacientes adultos de anemia falciforme.A dor atinge com maior frequência os ossos e articulações, mas pode se manifestar em qualquer parte do corpo. O paciente pode sentir dores intensas nos ombros, quadris, joelhos, tornozelos e abdomens.Anemia Falciforme e Dor Crônica – OrigemA dor crônica da anemia falciforme é ocasionada pela falta de fluxo sanguíneo para determinadas regiões corporais. As hemácias com formato de foice podem se aglomerar e provocar um entupimento na corrente sanguínea do indivíduo, denominado crise de vaso-oclusão. As dores crônicas intensas são provenientes da destruição do tecido que sofreu a interrupção do vaso sanguíneo.Anemia Falciforme e Dor Crônica – TratamentoOs pacientes de anemia falciforme devem ser acompanhados por uma equipe com vários especialistas no tratamento da condição, ao longo de toda a vida. É responsabilidade da equipe médica orientar o paciente e seus familiares, prevenir e tratar adequadamente as crises dolorosas e identificar rapidamente os sinais de gravidade da doença.O controle da dor crônica se dá através de terapias medicamentosas, que variam de acordo com a intensidade da dor, classificada numa escala de 0 a 10. Em casos mais graves, o tratamento inclui medicações mais potentes no alívio da dor, como a morfina.Os cuidados incluem terapias domiciliares com analgésicos, anti-inflamatórios e/ou codeína, e as doses são prescritas pelos especialistas conforme o nível da intensidade da dor.Nos casos em que não há resposta ao tratamento domiciliar dentro de 24 horas, ou o paciente apresenta algum sinal de alerta, este deve ser encaminhado imediatamente para tratamento hospitalar. Quando o especialista julga necessário, alguns pacientes permanecem internados, para que haja um controle adequado da dor.Quando o tratamento medicamentoso não oferece resultados no controle das crises dolorosas, pode haver indicação médica para a realização de procedimentos minimamente invasivos, como o bloqueio de nervos.Não existe um padrão absoluto de tratamento para a dor crônica provocada pela anemia falciforme: é importante ressaltar que a conduta deve ser individualizada, de acordo com o quadro clínico e as particularidades de cada paciente.O especialista responsável pelo acompanhamento e tratamento da dor crônica de pacientes com anemia falciforme é o médico neurologista. A indicação da terapia adequada depende diretamente da avaliação do médico que acompanha o paciente.Em alguns casos, há participação do neurocirurgião no tratamento, por meio de técnicas de neurocirurgia funcional.Relação entre Anemia Falciforme e Dor CrônicaVotar

Relação entre Anemia Falciforme e Dor Crônica – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies