Santo André acusa delongado no salário

0
90

Única equipe que participou de todas as edições da Liga de
Basquete Feminino, criada em 2010, Santo André pode permanecer de
fora da edição 2016/2017. Há dois meses, jogadoras e comissão
técnica não recebem os salários que deveriam ser pagos pela
Prefeitura. Nem mesmo o título do Campeonato Paulista,
conquistado domingo, melhorou a situação. Na próxima semana,
reunião vai definir se um dos times mais tradicionais da
modalidade estará no torneio mais importante do País.

Só quem participou do Paulista pode dimensionar os desafios que
o grupo teve de superar para levar o título. A equipe sofreu
para narrar com profissionais na comissão técnica e a falta de
pagamento nos dois últimos meses só não pôs tudo a perder
porque a união das jogadoras ajudou a superar as adversidades.
“Foram dois meses terríveis. Temos atletas que são arrimo de
família e não levavam verba para vivenda. Não tínhamos
preparador físico, foi muito desgastante”, assumiu a técnica
Arilza Coraça.

A treinadora estranhou o vestuário de o repasse à modalidade ter
sumido justamente no período eleitoral, onde ela e Laís Elena,
ex-técnica e atual supervisora da equipe, apoiaram o projeto de
oposição do prefeito eleito Paulo Serra (PSDB). Laís, aliás, se
afastou da função para se candidatar a vereadora pela placa.
“Tomara que tenha sido coincidência. Não quero confiar nessa
possibilidade. Sofremos retaliações, mas acho que temos o
recta de escolher e foi o que fizemos”, esclareceu Arilza.

Por meio de nota, o Paço assumiu que deve ao time e a outras
modalidades e não definiu data para fazer o pagamento. “A
Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Esporte e
Lazer, informa que, diante da crise econômica que o Brasil, os
Estados e os municípios enfrentam neste momento, não está sendo
dissemelhante para cidade (sic). A Pasta trabalha para efetuar o
repasse às associações que fazem a gestão das equipes de
competição de Santo André, mas ainda não há previsão de data.
Os compromissos com as entidades, sem fins lucrativos, serão
honrados na medida do possível”.

Após colocar termo a jejum de conquistas, Arilza diz que não
segue uma vez que técnica

Na primeira temporada uma vez que técnica da equipe principal, Arilza
Coraça deu ao Santo André o título do Paulista Feminino de
Basquete depois de quatro anos de jejum. Apesar do ótimo
desempenho, ela está decidida a entregar o missão por conta do
desgaste sofrido.

“Estou pensando em permanecer fora da quadra. São muitos anos uma vez que
desportista e depois uma vez que assistente da Laís (Elena). Já dei minha
contribuição. O time será comandado por Bruno Guidorizi (atual
facilitar). Ele é um face estudioso, novo e está pronto”,
garante Arilza, que não sabe o que fará exatamente. “Ainda não
conversamos sobre isso. Vamos ver uma vez que permanecerá a
situação.” 

Santo André acusa delongado no salário
Avalie esta notícia